Províncias

Zaire reforça medidas de prevenção

A província do Zaire já dispõe do material de biossegurança necessário para os agentes sanitários devidamente preparados a­tenderem eventuais casos de é­bola na região, anunciou na quarta-feira, em Mbanza Congo, o director local da Saúde.

Material de biossegurança permite aos técnicos da saúde estarem devidamente preparados
Fotografia: Garcia Mayatoko | Mbanza Congo

João Paulo, que falava durante uma palestra sobre prevenção e diagnóstico da febre hemorrágica do ébola, no âmbito do 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional, disse que o material está a ser distribuído nos postos fronteiriços, por serem portas de entrada e de saída dos indivíduos dos países limítrofes.
O Instituto Nacional de Saúde Pública já fez chegar à província alguns materiais e, nos próximos dias, deve disponibilizar os restantes, essenciais para a prevenção da doença.
Angola passou a integrar o grupo de países considerados de alto risco em termos de infecção por ébola, depois de serem confirmados casos na República Democrática do Congo. Neste país vizinho, que partilha 330 quilómetros de fronteira com o nosso, através da província do Zaire, foram notificados até agora, a nível da zona do Equador, a cerca de mil quilómetros de Kinshasa, 62 casos e 25 óbitos.
João Paulo esclareceu que uma pessoa que parta daquele país pode chegar ao posto fronteiriço do Luvo em apenas um dia e “se este estiver infectado pelo vírus é um perigo para todos nós”.
Em função dos riscos, o director provincial da Saúde solicitou às forças de segurança uma maior vigilância e cumprimento rigoroso das normas de trabalho, sobretudo em relação à transladação de cadáveres de um país para o outro.
Apesar dos riscos, João Paulo garantiu que “não precisamos de entrar em pânico. A situação é, de facto, preocupante, mas o mais importante é manter as medidas de biossegurança, como lavar as mãos e evitar defecar e urinar ao relento”. O ébola transmite-se através de fluidos corporais, como sangue, urina, vómitos, fezes, sémen e saliva.
O vice-governador do Zaire para o sector Político e Social, Rogério Zabila, pediu aos habitantes da província para serem os primeiros soldados na prevenção contra a epidemia da ébola.
“Podemos ajudar a nossa família e a comunidade se respeitarmos as medidas de prevenção enunciadas pelos órgãos de saúde”, disse durante a palestra.

Tempo

Multimédia