Províncias

Zaire tem novas infra-estruturas afectas ao Ministério do Interior

Várias infra-estruturas afectas ao Ministério do Interior (MININT), entre as quais a sede provincial dos Serviços de Migração e Estrangeiros, em Mbanza Congo, o estabelecimento prisional do Nkiende e as instalações do posto fronteiriço da comuna do Luvo, foram inauguradas sábado, na província do Zaire.

Momento em que o vice-ministro do Interior inaugurava as novas instalações do Serviço de Migração e Estrangeiros
Fotografia: Adolfo Dumbo| Mbanza Congo

Várias infra-estruturas afectas ao Ministério do Interior (MININT), entre as quais a sede provincial dos Serviços de Migração e Estrangeiros, em Mbanza Congo, o estabelecimento prisional do Nkiende e as instalações do posto fronteiriço da comuna do Luvo, foram inauguradas sábado, na província do Zaire.
As inaugurações estão enquadradas no programa comemorativo do 31º aniversário do Ministério do Interior, a ser assinalado amanhã, cujo acto central terá lugar no município do Soyo.
Os referidos empreendimentos sociais foram inaugurados pelos vice-ministros do Minint para as áreas dos Serviços Prisionais e Serviços de Migração e Estrangeiros, José Bamokina Zau e Eduardo Ferreira Martins, respectivamente.
O edifício sede da direcção provincial do SME é de um piso e possui vários compartimentos para as distintas secções, atendimento ao público e gabinete do director. As obras estiveram a cargo de uma empreiteira chinesa, Chisa, e duraram mais de 12 meses.
A cadeia do Nkiende, orçada em 33 milhões de kwanzas, tem capacidade para 170 reclusos, distribuídos em 50 celas, 10 destinadas à população penal feminina, uma vasta área administrativa, um refeitório, um armazém, uma cozinha industrial e outros sectores, ao passo que o posto fronteiriço do Luvo, para além do pessoal do SME, vai também albergar funcionários de outros ramos, como serviços aduaneiros, saúde e educação.
O vice-ministro do Interior para os Serviços de Emigração e Estrangeiros, Eduardo Ferreira Martins, referiu na ocasião que a acção está inserida num amplo programa de reabilitação e construção de infra-estruturas do Ministério do Interior, que visam proporcionar condições condignas aos funcionários do ramo. “Pensamos que estas estruturas vão dar mais dignidade aos funcionários. Numa só palavra posso dizer que elas impõem respeitabilidade perante o povo que nós servimos”, disse.
Para o vice-ministro do Minint para os Serviços Prisionais, José Bamokina Zau, “a inauguração da cadeia do Nkiende vai resolver o problema da superlotação vivida nas nossas cadeias”. O governante avançou que “o processo da humanização das cadeias continua a ser uma aposta do executivo angolano.
“Esta é uma cadeia que reúne condições para o tratamento do homem. Nela estão também visíveis os padrões no que toca ao respeito dos direitos humanos”, sublinhou, acrescentando que o processo de humanização prossegue o seu curso normal.
Os serviços prisionais, acrescentou, estão a fazer acções formativas adicionais, para melhorar o relacionamento entre os presos e os efectivos do sector.
O governador do Zaire, Pedro Sebastião, que testemunhou as inaugurações, manifestou a sua satisfação pelos novos empreendimentos que a província acaba de ganhar, dizendo que eles vão dar maior visibilidade em termos de imagem da capital do Zaire, Mbanza Congo.
“Para nós é um motivo de satisfação poder receber aqui mais instalações na capital da província. Como todos nós sabemos, a sede dos Serviços de Migração e Estrangeiros estava a funcionar no município do Soyo e, com a inauguração deste edifício, passam agora a trabalhar em Mbanza Congo ”, concluiu.

Tempo

Multimédia