Províncias

Zonas de risco reabilitadas melhoram qualidade de vida

Arão Martins | Matala

Mais de 11 mil pessoas, que viviam em zonas consideradas de risco, têm actualmente melhores condições de habitabilidade no bairro Muvale, como resultado dos programas de reassentamento realizados pelo Governo, através da Administração Municipal da Matala, a 200 quilómetros da cidade do Lubango.

Bairro Muvale no município da Matala surgiu aquando do processo de retirada da população que vivia numa zona considerada de risco
Fotografia: Edições Novembro | Matala

O coordenador do bairro Muvale, João Kundi, referiu que os programas permitiram a construção de quatro sistemas de água potável com painéis solares, uma escola do ensino primário e do I ciclo do ensino secundário, com 14 salas de aula e área administrativa.
A construção de um centro infantil e jango comunitários, centro médico, posto policial, ponteco, instalação da corrente eléctrica e de mais bens de iniciativa privada são outras acções que contribuem positivamente para a melhoria da qualidade de vida da população.
O coordenador do bairro destacou ainda a instalação do Colégio Kautindo, que ministra aulas do ensino primário, do I e II ciclos do ensino secundário, com vários cursos técnicos de saúde.
“Com estes ganhos, estamos esperançados de que a continuidade do programa do governo da província vai permitir melhorar cada vez mais a qualidade de vida da população local”, antevê João Kundi. O bairro Muvale surgiu aquando do processo de retirada da população que vivia numa zona considerada de risco, como nas proximidades da linhas férrea e de alta tensão, no dia 28 de Julho de 2010.
Nesta altura, a Administração da Matala controlava um total de 1.566 pessoas, dos quais 184 homens, 213 mulheres, 269 jovens e 900 crianças, referiu João Kundi.
Actualmente, estão controlados 11.370 moradores, sendo 2.200 homens, 2.500 mulheres, três mil jovens, 3.500 crianças, 150 idosos. Estão também 20 antigos combatentes.
O coordenador apresentou a situação do bairro, durante a visita que o governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, fez segunda-feira àquela localidade. O administrador municipal da Matala, Manuel Vicente, explicou que, a par do reassentamento da população que vivia em zonas consideradas de risco, foram também requalificados os bairros 11 de Novembro, Comandante Cow-Boy, com 31 mil habitantes, e Caulutue, com 15 mil pessoas. Manuel Vicente informou que dados preliminares do Censo Geral da População e Habitação apontam que a sede municipal da Matala tem 120 mil habitantes, o que obriga as autoridades administrativas a trabalharem cada vez mais, para proporcionarem melhor qualidade de vida à população.
O administrador municipal salientou que está a ser reforçada a execução de programas que visam o abastecimento de água potável, energia eléctrica, a abertura e a reabilitação das ruas e vias de acesso.
Outro ganho referido pelo administrador Manuel Vicente tem a ver com a questão do programa de autoconstrução dirigida, que permitiu proporcionar habitação a milhares de famílias na sede do município.

Desenvolvimento do município

O governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, disse que as autoridades estão comprometidas em promover a construção e a reabilitação das infra-estruturas necessárias ao processo de desenvolvimento das comunas, municípios, províncias e do país.
João Marcelino Tyipinge assegurou que se deve continuar com o programa de construção de equipamentos sociais e edifícios públicos, estradas e abastecimento de água potável, acções que continuam a merecem toda a atenção do Executivo angolano, do governo provincial e das administração municipal e comunais

Tempo

Multimédia