Recreio

Ler é mesmo uma festa

Joaquim de Almeida |12 Anos | Luanda

A minha escola foi à feira do livro da Associação Chá de Caxinde.

Eu e os meus colegas pudemos ver e ler livros infantis. O nosso professor contou-nos as histórias de alguns livros que estavam à venda e eu pude abrir alguns e ver as ilustrações. Eram todas muito bonitas. Só tenho pena que acabou tudo muito depressa e nem conseguimos saborear a festa.

O meu professor disse que os livros que estavam na feira eram muito baratos e valia a pena comprar.

Pedi ao meu pai para no dia seguinte ir à feira comprar o livro que eu mais queria, mas afinal era muito caro para as nossas possibilidades.

Eu fiquei triste, mas o meu pai disse que todos os livros são baratos, porque valem muito mais do que aquilo que damos por eles. O problema é que em nossa casa há pouco dinheiro e temos de escolher entre a comida e comprar um livro.

Então eu disse ao meu pai que quando for grande vou escrever um livro que será oferecido a todas as crianças. Esse meu livro vai ser o mais barato de todos para que ler seja mesmo uma festa.

Tempo

Multimédia