Chuva no Lubango desaloja famílias

João Luhaco| Lubango
17 de Fevereiro, 2017

As intensas chuvas que se registam nos últimos dias na cidade do Lubango, na província da Huíla, desalojaram 15 famílias, na sequência do desabamento de várias casas, construídas em zonas consideradas de risco, segundo dados preliminares anunciados ontem pela Administração Municipal.

Os bairros Hélder Neto, a Luta Continua, Lucrécia e Agostinho Neto são os mais afectados. 
Regina Domingas Manuela, uma das moradoras que teve a sua residência destruída, contou ao Jornal de Angola   que quando a chuva intensa do dia 13 de Fevereiro começou, por volta das 15h00, encontrava-se no local de trabalho. “Ao chegar à casa, cerca de duas horas depois, encontrei todos os haveres a flutuarem”.  Regina Manuela disse estar albergada em casa de uma vizinha, com os filhos e o marido. “Ficamos sem nada, as crianças estão sem sapatos, roupa, cadernos e batas para irem à escola”, lamentou.
Severina Cassanga, outra moradora que viu a sua casa destruída, reconheceu que se encontrava a residir em zona considerada de risco , desde 2014. “Sempre vinham aqui equipas técnicas da Protecção Civil e da Administração,  que registavam os nossos nomes para sermos realojados, só que não se consumou a nossa retirada.”
O administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, disse que as autoridades locais já estão a trabalhar para salvaguardar a integridade física dos afectados. “Nas últimas 72 horas, chove intensamente na nossa cidade e, do levantamento preliminar feito pelos nossos técnicos, registou-se a destruição de várias casas, principalmente no bairro Helder Neto, mais conhecido por Minhota,  A Luta Continua, Lucrécia e no Camazingo”, sublinhou. Adiantou que já se está a trabalhar com os administradores dos bairros em busca de soluções.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA