Reportagem

Campanha agrícola animadora

João Upale | Caluvundo

A campanha agrícola 2017-2018 na província do Namibe foi aberta no pólo agrícola de Caluvundo, no município de Camucuio.

A campanha agrícola tem como lema: "Produzir e produzir sempre"
Fotografia: Afonso Costa | Edições Novembro | Namibe

O lançamento da  campanha foi presidido pelo governador provincial, Carlos da Rocha Cruz, que fez a entrega de instrumentos de trabalho, sementes, fertilizantes, insecticidas e tractores de tracção animal.
     Os camponeses de Camucuio estão satisfeitos com o presente momento devido às chuvas que constantemente caem sobre a região, e prometem trabalhar a terra que é muito fértil, com afinco, para diminuir a fome e combater a pobreza.
     A presente campanha agrícola tem como lema, para os camponeses da região, “Produzir e produzir sempre”, daí a forte aposta da comunidade em aumentar a produção, com olhos postos na diversificação da economia, conforme fez saber o presidente deste pólo agrícola, Mupey Ngueleca.
    “Estamos prontos para trabalhar a terra, não obstante algumas dificuldades de ordem conjuntural”, garantiu o representante da comunidade camponesa do pólo de Caluvundo que manifestam total disposição em corresponder à expectactiva do Governo Provincial do Namibe, no que toca ao aumento de mais recursos alimentares visando diminuir o foco da desnutrição.
     Apesar disso, Mupey Ngueleca lamentou a falta de desassoreamento do rio Caluvundo devido às inundações na época chuvosa que deterioram as lavouras, a não subvenção de combustível para os motores usados na agricultura, bem como a necessidade de execução de furos industriais, sobretudo na comuna do Chingo, onde a partir do mês de Outubro a escassez de água é “gritante” e leva à seca da produção.
    A anterior época agrícola 2016-2017 teve alguns furos abaixo. Porém, houve alguns resultados substanciais. Mupey Ngueleca lembrou que os associados deram os primeiros passos na agricultura, em particular no Camucuio, tendo provado a terra “ter tudo para dar” e através dela criar riqueza para o auto-sustento das famílias.

Pólos agrícolas
O programa de Apoio Directo a Produção Camponesa implementado pelo Governo Provincial do Namibe fomentou a criação de 15 pólos agrícolas, sendo três - Caluvundo, Calinguili e Catete - no município do Camucuio. Mais tarde a iniciativa estendeu-se a outras áreas, agora denominadas “Zonas de Expansão Agrícola,”  Culucayona, Mayandja e Mamué.
    O director da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Gabriel Faustino Félix, anunciou para a presente campanha agrícola um envolvimento de 35 mil famílias no processo produtivo, a preparação de terra na ordem de 12 mil hectares e a produção de 87.700 toneladas de produtos diversos. Um total de 150 mil bovinos vão ser vacinados. Cem mil plantas  vão ser produzidas em viveiros.A campanha agrícola 2017-2018 vai marcar a entrada em funcionamento do projecto de parceria entre Angola e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), denominado SAMAP.
    Gabriel Félix disse que este projecto assenta em três eixos, a promoção do aumento de produção, ensino e o aprendizado no terreno e a venda da mercadoria produzida.
       A anterior campanha agrícola, disse, conheceu momentos “menos bons”, com o surgimento de dois surtos das sete maiores pragas e doenças que ameaçam a economia agrária da região da SADC, que são a tutabsoluta, na cultura de tomate, que foi detectada e identificada pelos técnicos do sector dia 23 de Novembro de 2016. A outra foi a lagarta de cartuchos, na cultura do milho que, para o caso do Namibe, foi detectada no mês de Fevereiro de 2017.
     “De facto, fomos bem dotados, se tivermos em conta o quão pesada representa na balança económica agrária da província, o nosso tomate”, disse, para acrescentar que foram desencadeadas várias acções formativas (sete no total), no sentido de potenciar os agricultores e camponeses com conhecimentos que permitam identificar e controlar estes surtos.

Meios disponíveis
O responsável do sector de agricultura no Namibe anunciou que vai receber nesta época agrícola 76 motobombas, 500 charruas, 1.500 enxadas, 533 toneladas de adubos 12-24-12, 50 toneladas de amónio, 1.275 toneladas de ureia, cem toneladas de sementes de milho, 35 toneladas de semente de massango, 38 toneladas de massambala, dez toneladas de feijão e cerca de mil limas.
     O governador Carlos da Rocha Cruz ressaltou  o apoio  a ser dado aos camponeses, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Agrícola, ajudando-os com meios para lavoura, como tractores, enxadas, charruas, fertilizantes, sementes, escoamento deproduto do campo para a cidade.
 governante apelou ao melhoramento de alguns aspectos de organização e rentabilização dos meios postos à disposição das cooperativas e associações. “É nossa missão elevar os níveis de trabalho realizados até aqui, produzir mais e melhor, aumentar e diversificar a produção”.
     Neste sentido, o governador provincial responsabilizou os administradores municipais no acompanhamento da gestão e controlo dos meios postos à disposição das cooperativas agrícolas e de apoiarem os camponeses nas suas mais amplas necessidades .

Tempo

Multimédia