Reportagem

Feira abre no Cuanza Norte com centena de investidores

Manuel Fontoura |Marcelo Manuel | e André Brandão | Ndalatando

A 1.ª edição da Feira Internacional do Cuanza Norte (FICN) foi inaugurada ontem, no Largo das Escolas, com mais de 100 empresas nacionais e internacionais inscritas, no âmbito das comemorações dos 61 anos da cidade, que se assinalam a 28 de Maio, com uma componente multissectorial que demonstra as potencialidades económicas e industriais da região.

A primeira edição da Feira Internacional do Cuanza Norte abriu ontem as portas ao público com uma componente multissectorial no quadro dos 61 anos da cidade de Ndalatando
Fotografia: Nilo Mateus|Edições Novembro|Cuanza Norte

Organizada pela empresa C-Calas Angola, Promoção e Eventos, a feira tem o apoio institucional do Governo Provincial do Cuanza Norte.
A feira, cujo acto de abertura foi presidido pelo secretário de Estado da Agricultura, José Amaro Tati, está representada com empresas do ramo de agricultura, telecomunicações, construção, agro-industrial, pescas, moda, mecânica, banca, educação e prestação de serviços, entre outras.
Os feirantes encontraram no certame a oportunidade de vender mais os seus produtos, como roupas diversas, perfumes, bijutarias, produtos agrícolas, medicamentos tradicionais, variedades de plantas ornamentais, alimentação e medicamentos para animais como cães, gatos e peixes, venda de motorizadas de cilindradas diversas, equipamentos agrícolas de pequeno e grande porte e outros.
O evento tem como principal objectivo dar a conhecer as potencialidades económicas e industriais do Cuanza Norte e regiões vizinhas, a fim de atrair investimento nacional e internacional para apoiar o desenvolvimento e contribuir para a diversificação da produção interna.

Palestras sobre negócios


Durante o evento, realizam-se palestras sobre questões de negócios e desenvolvimento de actividades empresariais e prestação de contas, a serem dirigidas aos participantes pela Administração Geral Tributária (AGT). Outras actividades ligadas à história da própria cidade de Ndalatando aconteceram já em dias anteriores.
A Feira Internacional do Cuanza Norte passa a partir de agora a ser um evento anual, realizado por ocasião das festas da cidade de Ndalatando, para o reforço do seu papel enquanto plataforma de referência no estabelecimento de contactos, criação de negócios e dinamização de iniciativas que potenciam e estimulam a competitividade e o desenvolvimento da província, sendo actualmente a mais importante na região Norte do país.
Ao discursar no acto de abertura da feira, o governador provincial do Cuanza Norte, José Maria Ferraz dos Santos, realçou a força de vontade e o espírito de missão dos filhos da região, como factores cruciais que permitiram a realização do evento, realizado num contexto difícil da economia nacional. O governador provincial disse acreditar que o evento vai figurar na memória presente e futura dos habitantes da região.
José Maria dos Santos disse que a realização da feira internacional exigiu dias árduos de execução de tarefas complexas e desafiantes, num contexto de festa, que ao mesmo tempo serve de oportunidade para mostrar as potencialidades da província, a par das múltiplas oportunidades de negócios disponíveis.
A realização deste evento, disse o governador, permite ao seu pelouro e parceiros a criação de premissas necessárias aos desígnios do desenvolvimento, de forma a garantir a esperança por uma vida melhor para as populações.
O programa de desenvolvimento reajustado do Cuanza Norte fixa como focos de sustentação da economia da província os sectores da agricultura, pecuária, indústria, exploração mineral, turismo rural, histórico, cultural e religioso.
O governador provincial do Cuanza Norte desafiou os habitantes de Ndalatando a pautarem por comportamentos que tornem a cidade mais simpática e acolhedora, apostando na estima e manutenção das infra-estruturas existentes. Aproveitou a ocasião para felicitar as populações das províncias de Cabinda e Lunda Sul, cujas capitais celebram os seus aniversários na mesma data de Ndalatando.

Um território próspero

O administrador da C-Calas Angola, Promoções e Eventos, Carlos dos Santos Calas, considerou que a província do Cuanza Norte possui todas as características de um território próspero no que concerne ao desenvolvimento económico e social, na promoção da sua cultura, exploração dos seus recursos naturais e minerais.
Carlos dos Santos afirmou que o território do Cuanza Norte possui os elementos essenciais para o surgimento de novas indústrias inseridas num contexto de excelente procura e cujo desenvolvimento dependerá do empreendedorismo e competência da capacidade humana.
O administrador acrescentou que a C-Calas Angola, Promoções e Eventos espera que este acontecimento seja uma ponte para dinamização do crescimento da província, depositando a esperança no futuro de oportunidades para a juventude e contribuir com a sua força criativa para a mudança do meio.
“A Feira Internacional do Cuanza Norte é mais um mecanismo que visa proporcionar a estabilidade política e socioeconómica da província”, disse.
Esta feira vai contribuir para a abertura de vários espaços para novos conhecimentos, constituir novas parcerias, bem como conhecer novas oportunidades e experiências de negócios, referiu Carlos dos Santos.

José Amaro Tati

O secretário de Estado da Agricultura, José Amaro Tati, disse reconhecer a iniciativa do Governo da província do Cuanza Norte, pela importância que tem para impulsionar o desenvolvimento socioeconómico da região Norte do país. José Amaro Tati afirmou que só com fé no futuro é que iniciativas como esta podem ser levadas a cabo, particularmente num momento difícil como este que o país atravessa do ponto de vista da economia, referindo que com criatividade, inteligência e fundamentalmente fé no futuro é possível acreditar que Angola não vai permanecer na crise, mas sim vencê-la em breve.
O Cuanza Norte tem grandes possibilidades de diversificar a sua economia, disse Amaro Tati. Embora seja uma província fundamentalmente agrícola, acredita num Cuanza Norte agrícola e pecuário, porque pode produzir para si e pode colocar o país a comer bem e até exportar grande quantidade de bens alimentares para o estrangeiro.

Uma agricultura forte

O Cuanza Norte, tal como Malanje e Uíge, são províncias contempladas com bom clima, bons solos e muita água. “Por mais empreendedora que a população do Cuanza Norte seja, acredito que está tudo feito para que haja uma agricultura forte, pujante e capaz de fazer milagres e ultrapassar a fome que por vezes acontece no nosso país”, disse.
A feira é só o início de muitos bons negócios, referiu José Amaro Tati, que espera que depois da feira os negócios continuem e que tragam para o Cuanza Norte empreendedores e empresários fortes capazes de dar emprego e possam fazer prosperar a província.
A Inauguração da Feira Internacional do Cuanza Norte foi testemunhada pelos governadores das províncias do Uíge e Malanje, Norberto dos Santos e Paulo Pombolo e ainda por membros do Governo Provincial, autoridades tradicionais e religiosas e convidados.

Tempo

Multimédia