Reportagem

“Jovens Unidos do Património” conquista terceira vitória

Garcia Mayatoko Fernando Neto | Nzeto, Alfredo Ferreira | Caxito, Estácio Camassete | Huambo, Jesus Silva | Lobito, João Upale | Moçâmedes, Domingos Mucuta | Lubango, Isidoro Samutula | Dundo , Valter Gomes e Mavitidi Mulaza | Uíge

O grupo carnavalesco Jovens Unidos do Património, do município de Mbanza Kongo, arrebatou, terça-feira, pela terceira vez consecutiva, a edição 2020 do Carnaval provincial do Zaire, na classe de adultos, com 1.190 pontos.

Grupo vencedor apelou para a preservação da Cidade Histórica de Mbanza Kongo, elevada à categoria de Património Mundial em 2017
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Nzeto

No desfile realizado no Largo Dr. António Agostinho Neto, no município do Nzeto, desfilaram 12 grupos carnavalescos, sendo dez de adultos e dois infantis, além dos Blocos Vermelho (Nzeto) e Azul, que animaram a maior manifestação popular do povo na província do Zaire.

Na classe de adultos, o grupo Associação das 15 casas, com 1.125 pontos, ficou na segunda posição, seguido pelo União Kinganga, do município do Nzeto, com 1.034 pontos.
Na classe infantil, venceu o grupo União Kinganga, com 704 pontos, seguido pelo 1º de Maio, com 496 pontos, ambos do município do Nzeto, por sinal, os únicos grupos de “cassules” que desfilaram no Entrudo edição 2020 no Zaire.
Os grupos, que exibiram toques da dança zeku zeku, cazukuta e semba, nas canções apresentaram como tema a preservação de Mbanza Kongo como Património da Humanidade, maior aposta na agricultura, combate à imigração ilegal e consequências da auto-medicação. O município do Nzeto, como anfitrião do desfile provincial do Carnaval edição 2020, competiu com quatro grupos e dois blocos de animação, enquanto Mbanza Kongo e Soyo estiveram re-presentados por dois grupos cada. O município do Cuim-ba participou com um grupo carnavalesco enquanto o grupo do Nóqui esteve au-sente, devido ao mau estado da estrada Nóqui/Mbanza Kongo.
Tubarão Francisco, um dos responsáveis dos Jovens Unidos do Património, visivelmente satisfeito, referiu que a terceira vitória consecutiva no Carnaval provincial do Zaire deveu-se muito ao trabalho de equipa e investigação sobre a Cidade Histórica de Mbanza Kongo, elevada à categoria de Património Mundial em 2017.
A organização do Carnaval edição 2020 no Zaire atribuiu como prémio ao vencedor de adultos a quantia de 500 mil kwanzas, e 350 mil e 250 mil kwanzas ao segundo e terceiro classificados, respectivamente. Na classe infantil, o vencedor recebeu da comissão organizadora 250 mil kwanzas e o segundo 200 mil, além do prémio de participação no valor de 50 mil kwanzas.

Homenagem ao Bloco Vermelho

O grupo carnavalesco Bloco Vermelho, do município de Mbanza Kongo, foi homenageado pelo Ministério da Cultura, pela participação exemplar nas edições anteriores do Carnaval no Zaire, durante o desfile provincial no Nzeto. O secretário de Estado da Cultura para a área científica, Aguinaldo Cristóvão, fez a entrega ao responsável do Bloco Vermelho de um diploma de mérito e um cheque de um milhão de kwanzas.
Na ocasião, Aguinaldo Cristóvão sublinhou que o apoio financeiro do Ministério ao grupo do Zaire visa permitir que continue a desenvolver as suas actividades, no sentido de manter o Carnaval na região competitivo e atractivo para a juventude, em prol da diversidade da cultura nacional.
“Decidimos homenagear este grupo que constitui a base na nossa cultura. O Bloco Vermelho de Mbanza Kongo enquadra-se como base da cultura carnavalesca do Zaire, daí que a Ministra da Cultura e o Governo do Zaire decidiram homenageá-lo, de acordo com a sua trajectória ao longo dos anos. O Bloco Vermelho participa nas edições do Carnaval provincial desde 2007”, referiu.
O secretário de Estado da cultura afirmou que decorrem estudos para que no futuro o Entrudo de Luanda receba grupos de outras províncias, de modo a tornar o Carnaval num acto nacional de integração cultural. “Estamos a seguir este caminho. Já tivemos no ano passado esta experiência e foi positiva. Claro, é necessário constituir os grupos como associações para permitir a angariação de patrocínios e preparação mais abrangente para me-lhorar o espectáculo de dança e música”, disse.
Por despacho do Ministério da Cultura, foi, também, homenageado, este ano, na província da Lunda-Sul, o grupo carnavalesco União Nkieku Nkietu do Luari.
Prestigiaram a edição 2020 do Carnaval provincial do Zaire, o director nacional da cultura, Euclides Barros da Lomba, membros do governo provincial e uma vintena de turistas ucranianos.

Ndengue Anonga convence júri no Bengo 

O grupo carnavalesco Ndengue Anonga, do município do Pango Aluquém, com 235 pontos, venceu a edição 2020 do Carnaval no Bengo, na classe de adultos, cujo desfile provincial se realizou no largo da Ingamba, em Caxito.
O grupo carnavalesco Ndengue Anonga, que nas duas últimas edições ocupou o segundo lugar, este ano, arrebatou ainda os troféus de melhor comandante, bandeira e canção.
Na segunda posição ficou o grupo carnavalesco Rainha Njinga Mbandi da Mifuma, com 228 pontos, que também levou para a sua galeria os prémios de melhor dança, alegoria e corte. O União Jovem Independente do Kingungo ficou em terceiro lugar, com 202 pontos. Ao todo, 12 grupos disputaram a presente edição do Carnaval 2020 na província do Bengo. Inicialmente, a organização tinha inscrito apenas nove grupos, de adultos.

Iluminação insuficiente
A fraca iluminação no largo da Ingamba, em Caxito, obrigou o júri, liderado por Sisa-inga Raúl, a aproximar-se o mais perto possível dos grupos que se exibiram no período nocturno.
Outra nota negativa foi o facto de os grupos União Sagrada Esperança e União Mussenga do Úcua terem se exibido com membros da classe infantil, levando o júri a atribuir-lhes a classificação medíocre.
No capítulo das danças exibidas, este ano, o semba voltou a estar em grande. Dos 12 grupos que desfilaram no largo da Ingamba, apenas três dançaram kuduro, maringa e cazucuta.

Ovinjenje vence no Huambo

O grupo carnavalesco Ovinjenje, do município do Tchinjenje, conquistou, na terça-feira, esta edição do Carnaval do Huambo, num acto realizado na Avenida Alioune Blonde Beye, no bairro Académico.
Pelos 366 pontos conquistados, o grupo recebeu o prémio de um milhão de Kwanzas. O melhor comandante desta edição é do grupo Ovinjenje e a melhor rainha a do Okutiuka. Cada um recebeu o prémio de 50 mil Kwanzas. A melhor canção foi atribuída ao grupo Tchiutuka, da classe tradicional, do município do Huambo.
Na classe tradicional, o grupo Katiavala, representado apenas por mulheres, do município do Bailundo, venceu o título, ao obter 350 pontos. Pela vitória recebe 450 mil Kwanzas.

Bloco Amarelo eleito o melhor em Benguela

O Bloco Amarelo foi eleito pelo júri o melhor grupo carnavalesco, na classe de adultos, na província de Benguela, durante o desfile provincial, ao totalizar 869 pontos, tendo recebido pela vitória 1.500.000 kwanzas.
Na segunda posição classificou-se o grupo Bravos da Vitória da Catumbela, com 835, 5 pontos e em terceiro lugar, o Unidos do Lobito, com 670, 5 pontos.
Na classe infantil, classificou-se em primeiro lugar o Unidos do Lobito, com 594 pontos, seguido pelo Horizontes da Baía Farta, com 581, 5 pontos e Kandengues dos Malambas, com 540, 5 pontos.
A presente edição do Carnaval de Benguela contou com a participação de 20 grupos, dos dez municípios da província, entre os quais 13 de adultos e 7 infantis, que exibiram talento na Marginal do município da Catumbela.
Deolinda Trindade, comandante do Bloco Amarelo, disse que depois de várias tentativas, a vitória deste ano eleva as responsabilidades do grupo, prometendo trabalhar arduamente para a revalidação do título na próxima edição.
Afirmou que este ano, o grupo desfilou na Marginal da Catumbela sob o lema “Juntos na diferença somos mais fortes”, pois como disse “o segredo da vitória do Bloco Amarelo esteve na dança, indumentária, alegoria e música, que contou com o apoio do músico Fedy”.
O vice-governador de Benguela para a área Técnica e Infra-estruturas, Leopoldo Muhongo, defendeu a necessidade de um Carnaval mais inclusivo, pois está cada vez mais animado e dinâmico. “Precisamos é de começar a olhar para a perspectiva de envolvermos no Carnaval mais a sociedade civil, quer do ponto de vista organizativo, quer do ponto de vista da participação dos foliões, para sermos mais inclusivos, indo buscar a representação de todos os estratos sociais, para que seja uma festa efectivamente de valorização dos nossos traços culturais e costumes”, salientou.

Ambiente de paz e fraternidade no Namibe

Num ambiente de paz e fraternidade, dez grupos carnavalescos, sendo três infantis e sete de adulto, desfilaram, terça-feira, na Marginal da cidade de Moçâmedes, no Namibe, no desfile do Carnaval, edição 2020, sem carácter competitivo, por falta de verbas.
O desfile do Carnaval no Na-mibe contou com três grupos infantis e sete de adultos, no-meadamente Escola Augusto Ngangula, Escola Pioneiro Zeca e os Miruins da Torre do Tombo. Depois se seguiram os grupos carnavalescos Torre do Tombo, Forte Santa Rita, Rei Mandume-ya-Ndemofayo (que regressa aos palcos depois de muito tempo ausente), Sagrada Esperança do Saco-Mar, União Welwitschia Mirabilis do bairro 5 de Abril, União Espírito Santo e União Saidy Mingas, que também regressa aos foliões.
Durante o Entrudo, os grupos apresentaram canções cujas mensagens destacam o empenho do executivo na solução dos problemas da po-pulação, como a melhoria das infra-estruturas escolares e sanitárias, aposta na agricultura, pescas e pecuária, limpeza e preservação do meio.
Antes da abertura do desfile, foi observado um minuto de silêncio em homenagem ao pre-sidente da Associação Provincial do Car-naval do Namibe (Aprocan), Augusto Chapunga “Man Chapas”, falecido em Abril de 2019, vítima de doença.

Chuva interrompe desfile no Lubango

A chuva torrencial, que caiu terça-feira na cidade do Lubango, interrompeu o desfile municipal do Carnaval, no qual participavam 15 grupos da capital huilana.
A chuva acompanhada de fortes ventos dispersou os foliões e o pouco público que acorreu à Praça Gabriel Calof para assistir ao desfile da maior manifestação cultural do povo.
A chuva, que começou durante o desfile dos grupos da classe infantil, durou pouco menos de uma hora, tempo suficiente para dispersar os foliões, júri e convidados.
A intensidade do vento obrigou os presentes a abandonar o local e procurar abrigo, visto que até as tendas VIP montadas não resistiram, deixando os espectadores à mercê da chuva. A vice-governadora para o sector Político, Social e Económico da Huíla, Maria João Chipalevela, que assistia ao desfile municipal, abandonou o local sob intensa chuva.
A pesar da chuva torrencial, o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros e o Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEMA) não confirmaram nenhum incidente grave provocado pela chuva, no local.
A província da Huíla não realiza o desfile provincial há mais de três anos, por insuficiência de recursos financeiros para premiar os grupos carnavalescos.

Dança Txianda dá vitória ao Txaco Txa Utxocwe 

A avenida Dr. António Agostinho Neto, na centralidade do Mussungue, na Lunda-Norte, acolheu, terça-feira, o desfile provincial do Carnaval 2020, no qual o grupo carnavalesco Txaco Txa Utxocwe, do município do Chitato, foi o vencedor, na classe de adultos, com 693 pontos.
O segundo lugar coube ao grupo 5 de Outubro, do município do Xá-Muteba, e em terceiro lugar ficou o grupo Mulheres Organizadas, do município do Chitato.
O grupo Txaco Txa Utxo-cwe, que exibiu a dança Txi-anda, recebe como prémio 800 mil kwanzas, o segundo classificado, tem direito a 700 mil kwanzas e o terceiro, 500 mil kwanzas. O desfile, muito concorrido, contou com a participação de 23 grupos, sendo 11 na classe de adultos e 12 de infantis, que foram avaliados por um júri presidido por Amado Jorge, a dança, canção, rainha e comandante. Na classe infantil, o vencedor foi o Muesseque Utale, do município do Chitato, que recebeu como prémio 600 mil kwanzas. O segundo classificado foi o Nova Geração, do município do Caungula, que teve direito a 500 mil kwanzas, enquanto o terceiro lugar coube ao Afiliados do Muaquece, do município do Cambulo, que recebeu 400 mil kwanzas.

Grupo Nzoji Yetu domina no Uíge

O grupo carnavalesco Nzoji Yetu, do município do Uíge, venceu, na terça-feira, o desfile provincial, na classe de adultos, da edição 2020 do Carnaval, com 1.074 pontos, pela segunda vez, superando os outros 11 concorrentes.

Nzoji Yetu, que exibiu a dança semba, levou, também, para a galeria os troféus de melhor painel, corte, canção, dança, alegoria e comandan-
te. O vencedor recebeu como prémio 700 mil kwanzas.
Na segunda posição ficou o grupo Segue-me, com 1.029 pontos e a terceira posição coube ao grupo Ambuila, com 939 pontos, que receberam como prémio 500 e 400 mil kwanzas, respectivamente.
Na classe infantil, o grupo carnavalesco Ana Tocama sagrou-se vencedor, com 1.245 pontos, seguido do Estrelinhas do Quitexe e Nova Geração, com 1.198 e 1.027 pontos, respectivamente.
O desfile provincial do Carnaval no Uíge decorreu no largo defronte ao Palácio da Justiça, e contou com a presença de 19 grupos da classe infantil e 11 de adultos.

Tempo

Multimédia