Reportagem

Marca Angola valorizada em Espanha

José Ribeiro|

Pelo segundo ano consecutivo, Angola surge colocada entre os 11 primeiros países do mundo que mantêm uma comunicação estratégica muito desenvolvida em Espanha.

Com a mesma posição de Angola estão os Estados Unidos, França, Rússia, Dinamarca, Peru, Venezuela, Reino Unido, México, Finlândia, Israel e Letónia. Este último país entrou este ano para a lista dos melhores, que perfaz agora 11 países.
Um estudo da Associação de Comunicação Política (ACOP) sobre a actividade comunicativa das representações diplomáticas em Espanha revela que Angola é mesmo o único país de toda África que desenvolve a “Marca País” naquele Estado europeu, contando com a mais alta das valorizações atribuídas pela associação: cinco estrelas.
De um total de 194 países do mundo, apenas 150 têm representação diplomática em Espanha e destes só 113 contam com uma página na Internet, destacando-se Angola como o único Estado em África que desenvolve a “Marca País” em Espanha.
A nota atribuída pela ACOP varia entre um mínimo de uma estrela, para as embaixadas que não estão nem na Web nem nas redes sociais, e um máximo de cinco, para aquelas que estão no Facebook, no Twitter e em outras redes sociais.
Além desta categoria, o estudo classifica as missões diplomáticas em Espanha pela promoção do país que representam. De um total de 194 países representados em Espanha, apenas 19 são reconhecidos pelo estudo como estando a promover a “Marca País”. Angola é um deles.
A pesquisa teve como base a observação da actividade das páginas Web e das redes sociais com maior presença e popularidade em Espanha, como o Facebook e o Twitter.
Segundo este estudo de conteúdo, a Espanha conta com uma percentagem elevada de representações internacionais no seu território, cobrindo mais de 75 por cento dos países do mundo, porque é uma “porta de entrada” na Europa.
Para a ACOP, esta forte presença internacional em território espanhol deve-se, com efeito, à “posição geoestratégica de Espanha”, que é membro da União Europeia, está à porta do Mar Mediterrâneo, tem fronteiras com países do Norte de África e vínculos culturais muito estreitos com os países da América Latina. “Estes factores, entre outros, fazem de Espanha um sujeito de relevo na politica externa e nas relações internacionais, que se reflecte no alto número de países com delegações diplomáticas”, diz o estudo da associação de investigação sociológica e mediática.
A página da Embaixada de Angola em Espanha é muito conhecida nos meios diplomáticos, jornalísticos, culturais e empresariais como um sítio de grande qualidade, actualidade, dinâmica e inovadora na apresentação gráfica e mensagem dos conteúdos “online”.
A página, com uma actualização diária garantida pelo Sector de Imprensa da Embaixada, dirigido pelo conselheiro de imprensa e jornalista sénior angolano Nazaré Van-Dúnem, é uma fonte importante de consulta de dados sobre o país tanto para espanhóis como para pessoas de outros pontos do mundo que se deslocam a Angola em viagem turística, em negócios ou mesmo em actividade politica e diplomática.

Expansão da rede digital

A presença de Angola na rede virtual internacional expandiu-se largamente com a conquista da paz no país e o acesso pela juventude angolana e por pessoas das várias faixas etárias e estratos sociais está muito vulgarizado, ao ponto de a circulação de rumores e determinado tipo de informação ser feita pelas redes sociais disponíveis na telefonia móvel.  
A expansão foi tão grande que o antigo presidente do Parlamento de Espanha e ministro da Defesa espanhol, José Bono Martinez, por ocasião de uma visita a Angola, ficou admirado com a imensa maioria dos anúncios de empresas de telefonia espalhados pelas ruas. Em Angola, declarou Bono Martinez, “o consumo de informação é quase tão importante como qualquer outro bem de consumo comum”. “Isso é uma prova mais do desenvolvimento do país. Os cidadãos angolanos consomem muita informação e essa informação é livre. Essa é uma condição necessária para o desenvolvimento harmonioso de uma nação”, afirmou Bono Martinez ao Jornal de Angola.
Segundo o estudo da ACOP, a percentagem de representações diplomáticas com página Web em Espanha aumentou 5,3 por cento no último ano, a percentagem de representações com perfil no Facebook aumentou apenas quatro por cento e o que mais subiu foi a criação de espaços no Twitter (seis por cento).
A pesquisa da ACOP refere que a Web continua a ser o espaço mais utilizado para a comunicação das Embaixadas e Consulados, o que se explica pela “centralidade que continua a ter as páginas Web como elemento informativo ‘online’ básico e de presença institucional”, e salienta que em 2016 foram abertos 14 novos perfis de representações nas redes sociais Facebook e Twitter.

Comunicação estratégica


São poucas as representações que utilizam as redes sociais para uma comunicação efectiva, porque as redes exigem actualizações periódicas e uma gestão estratégica, estudando quais são os públicos alvo e adaptando a comunicação, razão por que “apesar da abertura de novos perfis de Facebook e Twitter de certas Embaixadas, não ter aumentado o número de países que desenvolvem a chamada ‘Marca País’”.
O estudo concluiu que os países latino-americanos estão à frente da promoção das suas respectivas “Marca País” em Espanha, liderando este segmento de 11 países, seguidos muito de perto pela Europa, com três países. Quanto às regiões com nota de cinco estrelas, o continente Americano situa-se na primeira posição, com quatro países com cinco estrelas, a Europa manteve-se com quatro, seguida da Ásia, com dois países. A Letónia entrou pela primeira vez para o grupo com cinco estrelas.
Os países do continente africano, indica a pesquisa, contam com uma considerável presença diplomática em Espanha, com mais de 80 por cento de delegações do total dos seus Estados, apesar de aglutinar países com baixo índice de desenvolvimento. A grande presença de representações africanas em Espanha “pode dever-se ao papel do nosso país (Espanha) como porta de entrada na Europa”, diz a ACOP.
Segundo a associação, mais de metade das missões diplomáticas africanas contam com página na Internet e só quatro países têm o seu perfil no Facebook, um mais (Tunísia) do que em 2015, sendo a qualidade e a manutenção da sua presença na Internet “em grande medida melhoráveis”.
“Entre estes países destaca-se Angola, com uma comunicação estratégica avançada e com cinco estrelas de valorização. Este país é o único de toda África que desenvolve a Marca País em Espanha e que conta com uma valorização alta”, conclui o estudo.
Um elemento distintivo da página da Embaixada de Angola é um noticiário de actualidades nacionais em vídeo, que funciona como um canal de televisão. O Sector de Imprensa distribui também semanalmente uma newsletter com as principais novidades da página na Internet e as notícias semanais.

Sugestões da ACOP

Em forma de conclusão, a pesquisa sublinha que grande quantidade das páginas Web das embaixadas estão incluídas na rede de páginas do Ministério dos Negócios Estrangeiros dos seus países, o que “pode ser muito positivo, já que se reúne a informação sobre o país, a sua economia, política externa ou o turismo sem ter que gerir uma página diferente para cada uma das missões diplomáticas”.
No entanto, salienta o estudo, “há que notar que é muito importante que todos ou a maioria dos conteúdos da Web estejam traduzidos em castelhano, já que para pretender exercer uma influência num país estrangeiro tem que se fazer entender antes de tudo. O facto de estar em mais idiomas além do castelhano são benefícios para os utilizadores que entram na Web e dá mais seriedade e profissionalidade por parte da Embaixada”.
Por outro lado, acrescenta, “entendemos que é necessário adequar os conteúdos de cada Web de Embaixada aos distintos públicos, a cada país onde se encontre (tendo em conta a política externa), porque tem que haver uma comunicação homogénea e coerente, mas adaptada ao contexto e situação de cada lugar e país. Não é concebível uma única comunicação igual para todos os países sem ter em conta as relações internacionais, a politica exterior e a situação em que se encontra o pais”.
“Em muitas ocasiões, os embaixadores ou outros funcionários internacionais contam com um perfil no Twitter ou no Facebook, funcionando como uma espécie de ‘influenciadores’. Estes perfis são geridos de maneira mais pessoal, oferecendo o lado mais informal da influência do país no exterior. Estes espaços complementam a comunicação oficial das embaixadas, porque dão um elemento de proximidade com o utilizador, realizando uma comunicação mais distendida e de proximidade. Cobrem os eventos públicos da Embaixada, comentam a actualidade internacional de um plano que se percebe como individual, mas que sempre defende e apoia a política externa do país”, conclui a ACOP.

Um desenho inovador


Em 2016 foram notadas importantes alterações estruturais e de conteúdo na página  www.embajadadeangola.com, nas redes sociais (especialmente no Facebook) e na Newsletter da Embaixada enviada por email, semanalmente, aos assinantes.
A página assenta num novo paradigma de desenvolvimento informático, conhecido por responsive design, que permite que a página se adapte ao dispositivo a partir do qual se acede (computador, tablet ou telemóvel), apresentando sempre um desenho visual atractivo e facilitando a navegação. É a única página de uma Embaixada em Espanha que conta com este desenho inovador, superando as páginas de outras representações diplomáticas mais consolidadas, como as de França, Estados Unidos ou China.
A segurança da página continua a ser uma prioridade, a par das constantes actualizações de conteúdos e imagens, já que há alguns anos a página sofreu um ataque de hackers terroristas muçulmanos.
A foto principal da página é mudada no primeiro dia de cada mês, juntamente com o claim que reflecte mensagens para animar os visitantes a interessarem-se por Angola. São para isso utilizadas fotografias do património natural, outras que reflectem o desenvolvimento ou as novas infra-estruturas que se construíram no país, além de imagens próprias do momento.
Por baixo da foto de boas vindas, inserimos uma secção dos Serviços Consulares em Espanha, uma das mais visitadas. Contém as informações relativas a vistos e documentação necessária. O desenho é claro, detalhado e facilita as operações consulares aos cidadãos interessados.
Uma secção especial contém informação sobre como Investir em Angola. Existem relatórios económicos sobre o país e informação geral sobre a Indústria Angolana.
A partir da homepage é possível aceder à lista de Boletins Semanais e ao serviço WEB TV da Embaixada.
Uma janela especial criada em 2016 foi a Angola Cresce, onde são mostradas as últimas reportagens que rodam automaticamente, publicando uma apresentação muito atraente.
Em Descobre Angola são agrupadas perguntas frequentes, os conselhos a quem quer viajar para Angola e a informação sobre agências de viagens. Qualquer pessoa interessada em visitar o país encontra tudo com um só click.
Em 2015 foi aberta uma janela dedicada aos 40 anos da Independência Nacional. Com um click, os utilizadores podem descarregar em PDF e de forma gratuita o livro editado nesse ano pela Embaixada, Angola – Uma Trajectória de Quatro Décadas, uma obra interessante.
De uma forma geral, a página web é uma referência informativa sobre Angola em Espanhol.
Há janelas que contêm os resultados finais do Censo de Angola, uma lista com os principais meios de comunicação social angolanos, um acesso directo à página do Banco Nacional de Angola (BNA) e uma reportagem exclusiva sobre as instalações do novo Parlamento.
Graças ao ritmo de publicações, à variedade e qualidade dos conteúdos e imagens e ao desenho inovador, o motor de busca Google posiciona o site da Embaixada de Angola no primeiro lugar das pesquisas.
O balanço anual de acessos mostra dados muito positivos do bom acolhimento que teve o novo desenho: uma média de 320 visitas diárias, que se traduzem em 116.800 visitas anuais.

 Redes Sociais com marketing

 A Embaixada tem perfis oficiais no Facebook, Twitter, Linkedin e Youtube actualizados diariamente. Foram iniciadas campanhas de marketing digital no Facebook, por ser a rede social com mais utilizadores no mundo. Com isso, houve um aumento das interacções com a comunidade angolana e subiu de forma significativa o número de seguidores da página, que passou de 483 followers para 2.756 followers no espaço de dois meses.
A empresa Facebook autenticou o perfil. Depois de várias semanas de contactos, ao longo das quais foram melhorados os conteúdos publicados nesta rede social, a empresa verificou o perfil e outorgou o símbolo de uma conta oficial com suficiente qualidade. Alguns posts foram vistos por mais de 30.000 utilizadores e receberam 1.000 likes. Só entre 8 de Novembro e 5 de Dezembro de 2016, mais de 150.000 pessoas viram as publicações no Facebook e mais de 16.000 interagiram. Uma actividade muito alta.
No Youtube, a Embaixada passou a publicar semanalmente um produto inovador, qualquer coisa como um Serviço WEB TV. Até Dezembro passado, foram contabilizadas 25.738 visualizações dos 49 Boletins de TV publicados nesta plataforma de vídeo. Em 2015 foram 17.257 visualizações. 
Outra melhoria levada a cabo no Sector de Imprensa, foi o redesenho da Newsletter Semanal, que se tornou mais moderna, nomeadamente com a secção Um País por Descobrir, que apresenta sempre um lugar, um monumento, um artista plástico, uma obra de arte. Resultado: a visibilidade de Angola aumentou.

Tempo

Multimédia