Organizações Bikuku criam riqueza na Lunda-Sul

João Dias |
13 de Junho, 2013

Fotografia: João Gomes|Lunda-Sul

As Organizações Santos Bikuku (OSB) começaram com a­gências de viagens, que abriram portas para novos horizontes e novas perspectivas. Entre a promoção do turismo nacional e a realização de excursões, principalmente de apoio à Selecção Nacional de Futebol e à cultura, as Organizações Santos Bikuku começaram a descobrir as suas vias de crescimento.

Foi com estas actividades que a empresa conheceu o crescimento que lhe permitiu olhar para outros segmentos da vida económica e social.
Hoje, os investimentos das Organizações Santos Bikuku estendem-se a quase todas as áreas, com ênfase para a hotelaria e turismo, desporto e cultura, rent-a-car e venda de automóveis, numa altura em que têm também os olhos voltados para a área social, com a construção de uma clínica e uma escola.    
“Só é possível crescer e investir olhando verdadeiramente para as necessidades das pessoas. O nosso objectivo, mais do que o lucro, é olhar para as pessoas com humanidade, enquanto base das nossas actividades”, diz o director geral das Organizações Santos Bikuku, António Soares da Silva, ao Jornal de Angola.
Sobre a relação entre a banca e as empresas, é categórico em dizer que ninguém entra para a vida empresarial sem apoio dos bancos e a sua organização não foge à regra. Numa primeira fase, a OSB tentou trabalhar com diversos bancos mas os resultados ficaram aquém das expectativas. Com o Banco de Poupança e Crédito (BPC) foi possível construir parcerias e os projectos ganharam vida e foram-se consolidando passo a passo. 
Apesar dos investimentos do grupo estarem concentrados na Região Leste, especialmente na Lunda-Sul, também fez um investimento de peso no ramo da hotelaria. “Nesse segmento não temos medo da concorrência. Somos um grupo agressivo. Vamos primar pela qualidade, tanto nos hotéis de Luanda como nos da Lunda-Sul. Temos a qualidade como meta da nossa gestão”, referiu.
O grupo tem promovido o Turismo em Angola. “Com todos os nossos serviços interligados, pretendemos uma exploração mais alargada do potencial turístico do país”, realçou.

Hotelaria e turismo

Se há um segmento no qual as OSB investem sem medo é na hotelaria e turismo. “Não temos pressa com o retorno financeiro. Queremos antes de tudo desenvolver o ramo na província da Lunda-Sul”, diz o director-geral.
As Organizações Santos Bikuku estão a construir um hotel de quatro estrelas em Saurimo, a capital da Lunda-Sul. Com uma arquitectura arrojada, o Hotel Bikuku está localizado na Rua da Liberdade e tem oito andares, espaços de lazer, campos multiusos e piscinas. Hotel, complexo residencial e uma pensão “L” para clientes do dia-a-dia, partilham uma área bruta de 100 mil metros quadrados.
O projecto avança veloz. O Complexo dos Bambus, com 54 casas todas com suites, pretende ser mais do que residencial.
É um sítio de retiro e tranquilidade. As casas são destinadas a turistas que viajem em grupo ou a famílias. As OSB trazem à luz projectos inovadores, dignos de realce. Na Rua Governador Gagos está em construção um complexo turístico que vai ter 74 suites, salas de jogos, restaurante discoteca e outros equipamentos de lazer. A escassos metros, as OSB projectam uma zona comercial e três grandes piscinas. “Construímos pacotes integrados em que o cliente usufrua de todos os serviços e entretenimento a preços módicos. Com apenas um pacote, o cliente tem acesso a todos os serviços”, explica António Soares da Silva.
O director-geral das Organizações Santos Bikuku reconhece que existe um grande potencial turístico em Angola, mas diz que o problema reside no fraco investimento realizado pelo empresariado nacional no sector. “Os empresários têm sido pouco agressivos no investimento no turismo. Temos tido grandes acontecimentos desportivos, mas não são bem aproveitados para promover o turismo”, salienta. E apelou: “os empresários não devem ter medo de investir o seu dinheiro”.
O director regional das Organizações Santos Bikuku, Adriano Domingos, diz que a Lunda-Sul tem um défice gritante na hotelaria. “Temos vindo a verificar uma escassez muito grande de quartos na província. A nossa preocupação é ajudar a reduzir os níveis de escassez. É por isso que investimos de modo agressivo no sector”, refere.
Com a construção dos hotéis Bikuku, Chick-Chick e os hotéis da empresa AAA, cresce o número de quartos na província da Lunda-Sul.  

Área social

Com investimentos simultâneos em vários segmentos, as organizações têm agora um desafio em mãos: formar profissionais e dirigi-los para cada área no sentido de responderem os desafios das OSB.
Numa altura em que vários projectos estão em curso, as OSB projectam a construção para breve de uma clínica e uma escola. Os dois projectos fazem parte das prioridades de investimentos da organização, numa tentativa de mitigar as carências que a província vive nesses dois sectores.
A clínica, a ser construída no bairro Sassamba, tem 200 camas e todas as especialidades, serviços e equipamentos, informou o director regional da organização, Adriano Domingos. “Queremos uma clínica que seja auto-suficiente. Vamos contar com equipamento de última geração e um corpo clínico de médicos nacionais e estrangeiros. Vamos investir para que a qualidade seja de excelência”, refere.
Relativamente à escola, a organização pretende construir um estabelecimento de ensino com 54 salas no bairro Santo António. A escola deve contar com equipamentos e todos os serviços, como campos desportivos, balneários e vastas zonas verdes.

Materiais de construção

Em Candembe, a seis quilómetros de Saurimo, o grupo está  a construir um Centro de Vendas de Materiais de Construção, que deve ocupar uma área bruta de 11 mil metros. Conta com parques de estacionamento, lojas, restaurantes e serviços de apoio. A dois quilómetros do centro, do outro lado do rio Chicapa, no bairro de Pimbi, está a Armazém Bikuku, um enorme armazém que serve de centro logístico do centro. “Com este projecto pretendemos cobrir a Região Leste no que se refere à venda de materiais de construção, máquinas, equipamentos e mobiliário. No centro vamos comercializar material de construção civil para toda a Região Leste do país”, disse o director-geral do grupo, António Soares da Silva.

Aviação civil

As Organizações Santos Bikuku têm os olhos voltados também para o segmento da aviação civil, embora neste momento estejam a explorar mais o mercado de transporte de cargas com dois aviões “Ils”, enquanto esperam por mais aparelhos para transporte de passageiros.
Quanto ao nicho de mercado do transporte de cargas, o grupo apoia diversas empresas nacionais com interesses na Lunda-Norte e Lunda-Sul, nas províncias do Cunene, Cabinda e Luanda.
António Soares da Silva disse que os aviões vão ter base em Saurimo. Com uma filosofia de negócio voltada para a diversificação, as OSB operam no Aeroporto Deolinda Rodrigues, em Saurimo, garantindo assistência às aeronaves da TAAG, em terra, embarque e ­desembarque dos passageiros. Para prestação dos serviços, a empresa conta com sete viaturas, entre os quais quatro autocarros e duas carrinhas.

Feira automóvel

No Largo 1º de Maio, em Saurimo, o grupo tem um grande espaço onde decorrem as feiras de automóveis. Carros de diversas marcas e de diferentes construtoras estão expostos. Já lá vão três edições e mais de mil automóveis expostos. Na primeira edição estiveram expostas 360 viaturas. Na segunda 487 e na última 520. “A feira foi uma grande ajuda para mim, pois consegui um carro novo a crédito”, disse Aires de Sousa, um jovem cliente.
As Organizações Santos Bikuku lançaram a feira com venda de viaturas a crédito porque existiam muitos clientes, sobretudo jovens, que não tinham a possibilidade de comprar a pronto pagamento.
“Achamos que a solução passa por vendermos a crédito, como forma de facilitar aos funcionários públicos e outros trabalhadores adquirirem carro”, lembra o director regional das Organizações Santos Bikuku. O número de clientes cresce dia-a-dia e o impacto da feira alargou-se à Região Leste.
Moxico e Lunda-Norte também beneficiam dos investimentos da organização. O Dundo vai acolher, em breve, a feira do automóvel.

 Desporto e solidariedade

O contributo das organizações no desporto tem sido assinalável, sobretudo no apoio à Selecção Nacional e aos adeptos que se deslocam ao estrangeiro no apoio aos Palancas Negras.
As OSB também contribuiu para a reabilitação do Estádio das Mangueiras com capacidade para 7.200 espectadores. O equipamento desportivo está sob gestão do grupo.  A solidariedade social também faz parte do objecto do grupo. Estender a mão a quem precisa é uma filosofia da organização, que procura minimizar o sofrimento alheio. “Estamos aqui para ajudar a sociedade”, diz o director-geral da organização.
São inúmeros os gestos de a­poio, entre os quais está a oferta de uma capela, apoio a lares da terceira idade e de crianças, além de fazer parte de uma associação, em Portugal, que ajuda angolanos sem possibilidades de comprarem o bilhete de passagem para regressarem ao país.

capa do dia

Get Adobe Flash player


NEWSLETTER

Receba a newsletter do Jornal de Angola no seu e-mail:

SIGA-NOS RSS

MULTIMÉDIA