Reportagem

Reabilitação da rede viária melhora o dia-a-dia de Cabinda

Bernardo Capita / Cabinda

Os trabalhos começaram em meados de Outubro e   respondem às reclamações da população que  exigia às autoridades da província a reparação das vias,  que apresentavam um estado bastante acentuado de degradação.

Obras de reabilitação e colocação de novo tapete asfáltico estão a ser feitas nas principais artérias da cidade
Fotografia: António Soares | Edições Novembro

As obras estão a dar outra imagem à cidade e a auto estima da população de Cabinda começa  a elevar-se, bem como a confiança no novo Governo da Província pelo bom trabalho social que está a fazer.
Hoje, circular pela estrada Aeroporto-Primeiro de Maio-Avenida Duque de Chiazi até à cidade já é fácil e cómodo. Até há dois meses a via era um verdadeiro calcanhar-de-aquiles pelos transtornos que causava  aos automobilistas e aos transeuntes. Com o novo tapete asfáltico a circulação tornou-se mais fluida.
As estradas  “Papa Ngoma” e a do Comércio, em direcção ao rio Lucola, desembocando na rotunda de Cabassango, numa extensão de dez quilómetros, estão  também a ser reabilitadas.
As obras de reabilitação e colocação de novo tapete asfáltico nas principais artérias da cidade de Cabinda, que incluem  a terraplenagem das vias secundárias no interior de alguns bairros e a reparação, pintura e embelezamento de rotundas, parques de lazer e de recreação, decorrem a bom ritmo nas ruas da Missão Católica, do Intoxico, do morro do Tchizo e nos bairros Amílcar Cabral e Comandante Gika.
Automobilistas e taxistas manifestam contentamento pelo trabalho de reabilitação das estradas  na cidade de Cabinda. Júnior Ferreira Custódio é  taxista há três  anos, na rota Paragem do Yema-Cidade e disse à reportagem do Jornal de Angola que as obras de reabilitação das estradas tornaram o seu trabalho mais facilitado porque permite circular de forma fluida. Lopes Mendes, taxista há cinco anos  ao volante de um   “rabo de pato”, também exteriorizou   satisfação pela  melhoria das estradas.
Com um sorriso nos lábios Lopes Mendes disse que agora a “receita” do dia é feita sem muitos rodeios o que lhe proporciona um espaço de manobra para amealhar mais algum dinheiro.

Outros bairros
Os trabalhos de recuperação da rede viária em curso na cidade de Cabinda são extensivos aos bairros periféricos, com o objectivo de repor a normalidade da circulação de pessoas e bens,  garantiu o secretário provincial das Obras Públicas.
Juliano Capita disse que, no que se refere aos bairros não urbanizados, a estratégia do Governo Provincial  assenta na  requalificação para que sejam aí criadas condições básicas de habitabilidade, com vias importantes de circulação, redes técnicas  e equipamentos sociais.
A má ocupação do perímetro urbano e as construções desordenadas em muitos bairros não permitem o desenvolvimento da cidade não tão pouco dessas áreas habitacionais, dai, segundo Juliano Capita, a necessidade da sua requalificação pelo Governo.
“A nossa cidade é refém. Por um lado está o mar, e por outro está a má ocupação do perímetro urbano. Há um aglomerado  desordenado de habitações que dificulta o desenvolvimento da cidade”, disse  o responsável das Obras Públicas, que explicou que o Programa de Requalificação da Cidade de Cabinda  pretende não só repor a normalidade na circulação de pessoas e bens mas também melhorar o visual dos bairros.
Nesta perspectiva, disse Juliano Capita, as autoridades estabeleceram o bairro Comandante Gika como zona de experiência-piloto para execução do programa de requalificação, iniciando a execução de imponentes obras sociais, como o megaprojecto de construção do mercado municipal, das vias de acesso e também do centro de artes e ofícios.
Com a melhoria das vias de acesso, hoje no bairro Comandante Gika há uma maior concentração populacional, os habitantes já usufruem de água canalizada. “O bairro dispõe de vias de acesso devidamente asfaltadas, mercado, água e um sistema de táxis porta a porta.”

Saneamento básico
O processo de recolha de resíduos sólidos, na cidade de Cabinda e bairros periféricos, conheceu  uma melhoria significativa nos últimos dois meses, devido ao envolvimento das novas autoridades da província no que se refere ao saneamento básico.
Os amontoados de lixo que se observavam ao longo de muitas artérias da cidade, confundidos com  aterros sanitários, deixaram de existir, com a melhoria do sistema de recolha de lixo, uma tarefa que passou a ser supervisionada  pelo governador provincial Eugénio Laborinho. 
A recolha do lixo doméstico passou a ser feita por uma equipa afecta à Administração  Municipal que trabalha em regime de turnos, 24 horas por dia. O lixo hospitalar, por falta de equipamento apropriado para a sua incineração, é depositado num recinto  do Hospital Regional de Cabinda, onde, depois de alguns dias de acumulação, é recolhido pela Administração Municipal de Cabinda.

Tempo

Multimédia