Reportagem

Reabilitação de estradas é prioridade

Carlos Paulino

Ligar por estrada os nove municípios que compõem a província do Cuando Cubango constitui a grande prioridade do governador local, Pedro Mutindi, no sentido de impulsionar um maior desenvolvimento socioeconómico e consequentemente a melhoria das condições de vida da população da região.

Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro | Cuando Cubango

Actualmente, estão ligados por estrada apenas os troços rodoviários Menongue/Cuchi, num percurso de 93 quilómetros, Menongue/Cuito Cuanavale, 189 quilómetros, Menongue/comuna do Caiundo, 135 quilómetros e Menongue/rio Cuelei, 75 quilómetros.
Neste momento, a grande preocupação de Pedro Mutindi, prende-se principalmente com a reabilitação da estrada internacional Caiundo/Catuitui, que dá acesso à Delegação Aduaneira de Catuitui que se encontra na fronteira entre o Cuando Cubango e a Namíbia.
O estado avançado de degradação deste troço, num percurso de aproximadamente 200 quilómetros, tem afugentado muitos empresários do Huambo, Bié, Cuanza-Sul e Norte ou até mesmo de Luanda que adquirem diversos produtos na Namíbia, mas que preferem usar o posto fronteiriço de Santa Clara, no Cunene, que, apesar da distância, oferece melhores condições de acessibilidade.
A conclusão das obras de reabilitação do troço Caiundo/Catuitui  vai ser uma mais-valia para a província do Cuando Cubango, tendo em vista a arrecadação de receitas para os cofres do Estado a partir da delegação aduaneira.
Outra prioridade, segundo Pedro Mutindi, recai para a construção da estrada Cuito Cuanavale/Mavinga/Rivungo/Jamba/Buabuata, Cuito Cuanavale/Nancova, Cuangar/Calai/Dirico/Mucusso e Cuchi/Cutato.
O Cuando Cubango é a segunda província mais extensa do país, cerca de 200 mil quilómetros quadrados, cujo desenvolvimento célere e harmonioso que se almeja depende essencialmente da construção das vias de acesso, com o propósito de ligar por estrada os nove municípios da região.
“As estradas de uma província são como os vasos capilares de um ser vivo, que tem como função fazer circular o sangue em todo o corpo. Nesta senda, quando os mesmos estão entupidos o sangue não circula, levando à morte qualquer indivíduo”, frisou o governante, acrescentando que, do mesmo modo, uma província sem estradas não se desenvolve e, por este facto, a prioridade das prioridades cinge-se principalmente na construção de vias de acesso.
A melhoria das vias de acesso vão permitir ao governo provincial levar com melhor facilidade os principais serviços sociais básicos à população em todos os municípios, comunas, aldeias e quimbos, com destaque para a construção e reabilitação de mais escolas, unidades sanitárias, fornecimento de energia eléctrica e água potável, habitação, entre outras infra-estruturas.
O Governo Provincial do Cuando Cubango tem enfrentado muitas dificuldades para desenvolver a região pela distância que separa um município do outro, que seria semelhante à de uma província para a outra. O município mais próximo fica a 93 quilómetros da cidade de Menongue e o mais distante a cerca de 700, razão pela qual, algumas sedes comunais e até mesmo municipais, por causa do atraso da chegada dos principais serviços da Administração do Estado, são ainda confundidas de quimbos.
É por este facto que o governo provincial tem estado a solicitar sucessivos apoios do Executivo para a construção de estradas no interior da província, no sentido de mudar-se o actual quadro preocupante, que tem contribuído negativamente, também, para o índice elevado de pobreza da população da região.
Pedro Mutindi disse que, apesar da conjuntura económica que o país vive devido ao baixo preço do petróleo no mercado internacional, é sua convicção que o Executivo angolano vai saber concretizar principalmente este projecto de construção de estradas nos próximos cinco anos.
“Os poucos recursos financeiros que conseguirmos vão ter que ser direccionados para o desenvolvimento dos municípios do interior para que qualquer acção seja sentida pelos cidadãos”, disse. Acrescentou que é também sua convicção que isto vai acontecer, porque os dirigentes e a população estão preparados para executar qualquer programa ou projecto para o bem-estar do país e da província em particular.
O governador realçou que espera que toda a pessoa de boa-fé e vontade seja aberta e critique no sentido positivo ou dê o seu conselho quando vir que alguma coisa não está bem, para que de mãos dadas e unidos se possa levar a província a bom porto.

Energia e água

Pedro Mutindi disse que o governo da província está também preocupado com o fornecimento de energia eléctrica e de água potável a nível dos nove municípios do Cuando Cubango.
No que toca à cidade de Menongue, disse, o fornecimento de energia eléctrica deixa muito a desejar, tendo em vista a central térmica com capacidade de dez megawatts estar apenas com uma produção de sete, o que tem provocado muitas restrições e até avarias constantes dos grupos geradores devido à subcarga.
Cerca de 300 mil habitantes residentes em Menongue estão a viver dias difíceis por causa deste importante serviço, uma vez que os sete megawatts são insuficientes e há toda a necessidade urgente de aumentar-se a capacidade do fornecimento de energia eléctrica.
O fornecimento de energia eléctrica na cidade de Menongue vai ser reforçado com mais 50 megawatts nos próximos dias com a entrada em funcionamento de uma nova central térmica com turbinas a gás, que está neste momento em construção.
A par do reforço da capacidade da corrente eléctrica, é necessário também se alargar a rede de distribuição de energia eléctrica em todos os bairros periféricos de Menongue, para que as cerca de 300 mil pessoas possam desfrutar deste serviço, bem como permitir o funcionamento de várias indústrias que vão catapultar o desenvolvimento da província.
Outra acção deve estar virada à distribuição de água potável a nível da cidade de Menongue, tendo em vista que apenas cerca de 30 por cento da população beneficiam do fornecimento do precioso líquido.
O restante da população está a aguardar a segunda fase da implementação do projecto de distribuição de água potável.

Projecto "Água para Todos" é implementado na província

O Cuando Cubango tem um projecto que vai ser financiado pelo Governo do Israel, no quadro do programa ‘Água para Todos’, mas que não teve ainda a sua implementação devido à actual crise financeira mundial.
Dos nove municípios da província, tirando a cidade de Menongue e os municípios do Cuito Cuanavale e do Calai, outros como o Cuchi, Dirico, Cuangar, Mavinga, Nancova e Rivungo, estão praticamente sem fornecimento de água potável. “Ao Executivo saído das eleições gerais de 23 de Agosto, e que já tomou posse, apelou, o pedido vai no sentido que estes projectos que já começaram há muito tempo, sobretudo o de fornecimento de água e de energia em Menongue, o projecto ‘Água para Todos’ e a estrada internacional Caiundo/Catuitui, para não criarem desencanto nas pessoas, deviam ser reavaliados para a sua conclusão, uma vez que os mesmos vão contribuir para o bem-estar das populações”, disse o governador.

Promoção do turismo

O governador do Cuando Cubango disse que, durante o seu mandato, vai prestar uma maior atenção ao sector da Hotelaria e Turismo, tendo em vista que a província detém uma rica fauna e flora invejável que bem aproveitadas e exploradas vão contribuir para engordar as receitas do Estado e por sua vez vão permitir a implementação de importantes projectos para a melhoria das condições de vida da população.
A efectivação da implementação do projecto transfronteiriço Kavango/Zambeze que integra Angola, Botswana, Namíbia, Zâmbia e Zimbabwe, constitui a principal mola impulsionadora para que o Cuando Cubango seja um dos maiores pontos turísticos do mundo, uma vez que oferece potencial para o efeito,  falta apenas investimentos para a construção de infra-estruturas.
Pedro Mutindi disse ainda que a concretização do projecto KAZA na componente que abrange apenas a província do Cuando Cubango, no país com uma extensão de cerca de 87 quilómetros quadrados, passa necessariamente pela desminagem de todo o território da região e pela abertura das vias de acesso para permitir uma melhor circulação de pessoas e mercadorias, sobretudo de turistas.
Mutindi diz que a província tem potencial para desenvolver o turismo, tendo em conta que antes de ser nomeado governador do Cuando Cubango foi ministro da Hotelaria e Turismo e durante muitos anos visitou a província e conhece bem o potencial que esta região tem, para a tornar num dos melhores destinos turísticos do mundo.

Requalificação de Menongue

Menongue é uma cidade pequena e desde o alcance da paz em 2002 cresceu apenas com construções precárias. Razão pela qual merece uma requalificação no sentido de mudar a imagem da capital do Cuando Cubango que é o principal postal da província.
A cidade de Menongue é serpenteada pelos rios Cuebe e Luahuca, cujas margens precisam também de ser requalificadas, para se aproveitar a beleza que as mesmas oferecem e criar condições de lazer, conforme acontece noutros países.
As artérias da cidade necessitam igualmente de ser melhoradas, de modo que, na época chuvosa, mesmo aquelas pessoas que vivem nos bairros possam circular sem qualquer constrangimento.
Pedro Mutindi realçou que nos restantes municípios da província a situação é a mesma e que também vai merecer a atenção especial do governo da província, com vista a se melhorar as condições de vida da população.

Centralidade

A conclusão da construção da centralidade de Menongue, cuja primeira pedra para a edificação foi lançada no dia 31 de Julho, figura igualmente nas prioridades de Pedro Mutindi, no sentido de atrair-se vários quadros nacionais e estrangeiros para ajudarem no desenvolvimento da província do Cuando Cubango.
Muitas vezes, o governo provincial fica de braços cruzados em como acomodar os distintos quadros que vêm para o Cuando Cubango trabalhar. Por este facto, a centralidade de Menongue que vai ter, numa primeira fase, 212 apartamentos para beneficiar cerca de 1.300 moradores vai dar resposta a esta situação.
O projecto que está a ser construído no bairro Tucuve dista a sete quilómetros da cidade de Menongue, vai ocupar 6,9 hectares, dos 16 que representam o plano urbanístico. A centralidade vai contar com 212 unidades habitacionais de tipologia T3 e T4, 12 unidades comerciais, área verde com 500 metros quadrados. A zona viária para o estacionamento de viaturas é de 7.810 metros quadrados.
O projecto, a cargo da empresa Griner, prevê ainda a construção de uma escola primária, um posto policial e um posto de saúde, edifício administrativo, parques infantis, zonas desportivas e de lazer complementados por ciclovia e quiosques de apoio, arruamentos, sinalização e estação de tratamento de água.
Está ainda prevista a entrega de lotes para iniciativa privada, para o fomento e desenvolvimento complementar da centralidade, destinados a actividades económicas de várias dimensões e serviços.

Tempo

Multimédia