Reportagem

Ventos de solidariedade sacodem o país

Arcângela Rodrigues e Nilza Massango

Solidarizar-se com quem pouco ou nada tem é um gesto que se estende cada vez mais na sociedade. Um bom exemplo é o apoio que até agora se tem dado às vítimas da seca no Sul do país.

Na época natalícia, multiplicam-se as mãos que se abrem aos necessitados ou mais carentes. As crianças continuam a ser as mais privilegiadas, com festas e brinquedos
Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

Instituições públicas, privadas e particulares cultivam cada vez mais o sentimento de partilha e mostram-se de mãos abertas para doar bens como roupas, calçado e alimentos às pessoas mais necessitadas. Estes movimentos privilegiam crianças que vivem em lares e centros de acolhimento, adultos, idosos em situações muito vulneráveis, hospitais, etc.

Na quadra festiva, uma época que muitos acreditam que seja de união, solidariedade e partilha, estes gestos solidários multiplicam-se consideravelmente. Quase todos os dias fazem-se doações, há demonstrações de carinho e afecto, realizam-se festas, convívios, visitas, jogos e concertos musicais. Os carenciados que ganham com estas acções solidárias agradecem.
Jorge Joaquim, 12 anos, recebeu de presente, na semana passada, uma cadeira de rodas. A felicidade era tanta, que não conseguia falar à nossa reportagem. As únicas palavras que conseguimos captar foram o “Obrigado, Fundação Lwini”.
O tio que o acompanhava também agradeceu a iniciativa da fundação. “Esta cadeira vai ajudar o meu sobrinho a deslocar-se melhor, visto que sempre teve de rastejar para fazer o que fosse e isso causava-lhe feridas nas pernas e mãos”, disse.
Na ocasião, o tio de Jorge revelou que o menino nunca frequentou a escola. No bairro da Cuca, Distrito Urbano dos Ramiros, onde vivem, não tem escolas e, por isso, pede o apoio da administração local ou de instituições públicas e privadas para construir uma naquele bairro.
Trezentas crianças com deficiência, de famílias carentes, no Distrito Urbano dos Ramiros, no município de Belas, em Luanda, beneficiaram de um almoço de confraternização, oferecido pela Fundação Lwini, denominado “Natal Encantado”. Entre os menores, está Ema Cristina, de 6 anos. Ela é uma das felizes contempladas, como Jorge Joaquim. Na ocasião, Ema recebeu um presente das mãos da madrinha da fundação, Ana Paula dos Santos. Muito feliz, a pequena recusou-se a abrir a oferta e partilhar com todos. A menina pediu à madrinha para realizar outra festa no próximo ano, com muitos brinquedos e brindes.
A Fundação Lwini doou brinquedos, 10 cadeiras de rodas e 21 muletas. Ana Paula dos Santos garantiu que a instituição vai continuar a proporcionar momentos como estes às crianças da cidade capital e demais províncias.
O director-executivo da Fundação Lwini, Alfredo Ferreira reiterou o apoio da instituição às crianças com deficiência e não só e avançou que está em construção um centro materno-infantil, no Morro dos Veados, localizado no município de Belas. O centro terá capacidade para 150 pacientes, com serviços de pediatria e sala de parto. A inauguração está prevista para o primeiro trimestre do próximo ano.

Um pouco por todo o país
A campanha denominada “Natal Solidário”, para recolha de bens doados e entrega às instituições ou pessoas carenciadas ou necessitadas, lançada há uma semana e que se estende até 31 deste mês, veio reforçar o espírito de partilha nesta época. Muitas outras acções de solidariedade vêm acontecendo em todo o país, com o objectivo de atenuar as dificuldades daqueles que têm menos rendimentos para satisfazer as suas necessidades básicas.
Por outro lado, várias artistas angolanos juntaram-se à causa da seca no Sul de Angola, com a realização de vários concertos musicais e doações de bens diversos às comunidades afectadas.
No fim-de-semana passado, o grupo reuniu-se no Cine Atlântico, na Administração da Centralidade do Kilamba e no Mix Center do Morro Bento, onde recolheu brinquedos e produtos não perecíveis para doar às crianças locais. Os resultados dessa campanha vão ser apresentados no dia 15 deste mês, durante a “Gala Embaixadores Boa Vida”, no Centro de Produção da TPA (no Camama), numa parceria entre esta estação televisiva e o grupo empresarial Boa Vida, que é mentor do projecto.
Crianças dos centros de acolhimento Mamã Muxima, Apoio à Criança Abandonada, El Bethel, Horizonte Azul, Casa Criança Santa Isabel e Pequena Semente, em Luanda, almoçaram, jogaram, dançaram, brincaram e receberam brinquedos, durante um encontro de confraternização, realizado no domingo, pelo Banco de Fomento Angola (BFA). A actividade esteve ainda inserida no programa da instituição bancária de inclusão social, que contempla projectos de educação e saúde.

Atenção às necessidades especiais

Trinta crianças, entre elas autistas, do centro de acolhimento afecto à Associação Angolana de Amigos de Autismo (ASSAMA), beneficiaram de uma festa de Natal. As crianças receberam brinquedos pedagógicos para dar continuidade ao processo de terapia em casa.
A festa, realizada pela associação, visou também o encerramento das actividades curriculares do centro, localizado na zona da Camama, na Rua 1 do projecto “Sonho da Casa Própria”. O centro existe há quatro anos e tem apoiado na etiologia do espectro autista, através da formação, educação cívica e moral da pessoa com autismo.
O membro da associação Borge António informou que o centro oferece serviços de terapia ocupacional de segunda à sexta-feira e consultas especiais com médico defetólogo, psicólogo clínico e psiquiatra infantil.
Borge António revelou que é necessidade da associação a parceria com instituições públicas e privadas, a construção de um internato e a aquisição de uma viatura para apoiar as crianças do centro até a casa e vice-versa.

IAAC
Por outro lado, pacientes do Instituto Angolano de Controlo do Cancro (IACC), contam neste Natal com uma doação de bens alimentares e materiais hospitalares. A iniciativa é da associação Filantrópica “Luanda Palanca Negra”, que existe há sete anos e tem como objectivo apoiar à humanidade.
O presidente da associação, Barros Miete, revelou que todos os meses são realizadas actividades direccionadas às pessoas com problema de diabetes, visão, câncer e de prevenção do meio ambiente, entre outras.
Barros Miete garantiu que vai continuar a colaborar na melhoria das condições sociais da população a nível nacional. O responsável adiantou que, depois da Quadra Festiva, está prevista uma campanha de rastreio de diabetes, na província de Luanda e, posteriormente, no Huambo, Benguela e Cabinda.
“Não há sociedade feliz sem solidariedade e, infelizmente, as pessoas perderam a essência”, lamentou Barros Miete, frisando que os apoios aparecem mais em época de Natal, mas que é importante lembrar delas todos os dias.
No dia 20, o Hospital Geral Especializado do Kilamba Kiaxi vai realizar um almoço de confraternização com os pacientes com tuberculose, uma acção no âmbito do programa Natal Solidário. Há cinco meses que o referido hospital realiza esse tipo de eventos, com o objectivo de apoiar os pacientes que passam por muitas dificuldades, da alimentação ao transporte. A chefe de Secção de Tuberculose, Eva Cassua, disse que a direcção do Hospital tem ajudado com o que pode, dando pequeno-almoço e outros.
Por outro lado, centenas de crianças e adolescentes, seropositivas e afectadas, de vários centros de acolhimento de Luanda, foram brindadas com uma festa de Natal, no complexo cultural Paz Flor. O gesto solidário veio da organização Rede Angola, que, além de proporcionar aos pequenos, música, dança e jogos, doou brinquedos.

Miss e Mister Beiral

Com o objectivo de animar os idosos do Lar do Beiral na Quadra Festiva, o jovem Gilberto Figueira, mentor dos projectos “Salvando Vidas Com Amor” e “Boutique Solidária" tem realizado na época de Natal um evento para eleger a Miss e o Mister Beiral.
Este ano não será diferente. A eleição acontece no dia 22, no Beiral. Para entrada, são cobrados donativos a quem quiser assistir ao concurso.
No ano passado, os vencedores receberam como prémios telefones móveis, roupas, cabazes e uma quantia de 15 e 30 mil Kwanzas. Já os demais concorrentes foram contemplados com roupas.

Tempo

Multimédia