Sociedade

18 mil cartas de condução aguardam levantamento

André da Costa

18 mil cartas de condução e mais 35 mil livretes encontram-se na Direcção Nacional de Viação e Trânsito, desde o ano de 2008, à espera que os respectivos requerentes procedam ao levantamento em dias normais de funcionamento, incluindo aos sábados.

DNVT está a emitir e a entregar na hora Carta de Condução
Fotografia: André da Costa | Edições Novembro

Neste momento, encontram-se pendentes nos guichés da Direcção Nacional de Viação e Trânsito 55 mil pedidos de cartas de condução e livretes, que poderão ser imprimidos e entregues na hora aos seus proprietários, disse ao Jornal de Angola fonte da corporação.

O superintendente - chefe Angelino Sarrote disse que a DNVT está mais confortável para, nos próximos quatro meses, trabalhar sem sobressaltos para atingir a meta das 55 mil cartas de condução e livretes, dando solução às reclamações dos cidadãos.
Angelino Sarrote afirmou que a acumulação de enormes quantidades de cartas de condução e livretes em repartições afectos à Direcção Nacional de Viação e Trânsito, tem a ver com desleixo por parte de muitos cidadãos que não levantam os documentos desde 2015 que foram emitidos.
Angelino Serrote exemplificou uma acção protagonizada ontem por seis homens, que mesmo havendo a possibilidade de levantarem os livretes na hora, entregaram os verbetes e “abandonaram os documentos no balcão, por falta de paciência em aguardar pela entrega”.

11 anos à espera da carta
Laurentino Santos recebeu a Carta de Condução, ontem, nas instalações da Direcção Nacional de Viação e Trânsito, no bairro do Palanca, município do Kilamba Kiaxi, em Luanda, no âmbito da campanha de entrega de cartas de condução e livretes, promovida pela corporação.
Falando para o Jornal de Angola, Laurentino Santos explicou que fez o pedido de renovação da Carta de Condução, em 2008, tendo recebido um Verbete Provisório, que renovou inúmeras vezes, alegadamente “porque os funcionários diziam sempre que o documento não estava pronto”..
Celmira Lourenço, 24 anos, circulava com um Verbete Provisório, desde 2015, e renovou várias vezes. Para seu espanto, ontem depois de uma hora de espera, recebeu a Carta de Condução, modelo da SADC, e mostrou-se satisfeita, depois de tantos anos de espera.
Arsénio Ngola, Narciso Armando e Humberto Sacapunhi receberam igualmente ontem as cartas de condução, tratadas, em 2015, em Luanda. Ambos mostraram-se felizes por terem recebido os documentos definitivos.

Tempo

Multimédia