Sociedade

32 edifícios do Kilamba privados de energia devido à vandalização

Trinta e dois edifícios do Distrito Urbano do Kilamba, município de Belas, em Luanda, estão privados do fornecimento de energia eléctrica, desde ontem, por causa de actos de vandalismo perpetrados por elementos desconhecidos, situação que está a afectar 1940 famílias, estimadas em sete mil pessoas.

Pelo menos sete mil pessoas residentes no Kilamba estão sem energia eléctrica
Fotografia: DR

Para avaliar o impacto do acto de vandalismo, o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, na companhia do secretário de Estado da Energia e de altos funcionários do sector, deslocou-se, na manhã de ontem, àquela localidade para constatar a acção causada por alguns indivíduos desconhecidos.
No local, o governante manifestou-se descontente com o nível de vandalismo que dificulta desse modo o normal atendimento de energia eléctrica naquela circunscrição, cujos prejuízos causados à Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE-EP) estão avaliados em milhões de kwanzas.
Durante a sua estadia naquela localidade, o ministro da Energia e Águas interagiu com vários moradores do Kilamba, tendo sensibilizado os mesmos a enveredarem pela prática de denúncia desse tipo de actos criminosos, com vista a se responsabilizarem os culpados.
Na ocasião, João baptista Borges orientou os responsáveis da ENDE no sentido de tomarem medidas para a mitigação destes actos, bem como a reposição célere do fornecimento de energia eléctrica aos edifícios afectados.

EPAL e Odebrecht
Equipas técnicas da EPAL-EP e da Odebrecht Engenharia e Construção concertaram estratégias para a implementação do plano de contingência para combater a pandemia do Covid-19.
No encontro, as duas empresas abordaram o levantamento geral dos técnicos provenientes de Laúca, entre engenheiros, encarregados, canalizadores e auxiliares para a constituição de equipas de trabalho.
Assim, foram constituídas três equipas compostas por 26 técnicos cada que deverão trabalhar no município de Luanda, nomeadamente nas zonas Norte e Sul, devendo a EPAL-EP indicar os técnicos para coordenar os trabalhos das equipas.
A Odebrechet disponibilizará sete camiões cisternas, um gerador de 100 KVA, dois camiões gruas, dois autocarros, seis carrinhas e diverso material de reposição, numa altura em que EPAL-EP apresentou algumas necessidades, como sendo rectro-escavadoras, camiões basculantes, máquinas de corte de asfalto, sinaléticas, entre outros.

Tempo

Multimédia