Sociedade

733 médicos reprovados durante concurso público

Edivaldo Cristóvão

Um total de 733 médicos, que se candidatou à prova de admissão no concurso público do Ministério da Saúde, realizado em Novembro último, foi reprovado por dificuldades em acertar as questões temáticas específicas da profissão.

Ministra considera preocupante as deficiências dos profissionais submetidos a exames
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro |

Ao todo, participaram nos exames 1.355 candidatos  dos 1.667 inscritos, mas destes apenas 622 obtiveram êxitos. Os dados foram avançados na segunda-feira, em conferência de imprensa, pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, que considerou preocupante, porque a maior parte dos profissionais tiveram dificuldades nos exames.
A ministra referiu que, durante as provas de admissão, os médicos acertaram apenas as perguntas de cultura geral e de deontologia médica. Com base nisso, esclareceu que o Ministério vai apostar na formação contínua dos profissionais que já fazem parte do Sistema Nacional de Saúde e trabalhar muito com os que estão a entrar agora no sector.
Para a ministra, os resultados de avaliação das provas são uma demonstração de que existem lacunas na profissão. “Um médico angolano deve saber o que qualquer outro profissional domina em qualquer parte do mundo. Mas não vamos abandonar os colegas que tiveram resultados negativos nos exames de admissão”.
A intenção, referiu a ministra, é submeter os médicos a um estágio teórico-prático de reforço de conhecimentos gerais de medicina, cirurgia, obstetrícia, ginecologia, pediatria e saúde pública, para melhorarem a  sua inserção no Serviço Nacional de Saúde (SNS).
Para o êxito da formação, a ministra  espera contar com o apoio das universidades e pólos universitários, para que os médicos estejam melhor preparados para o próximo exame.
No concurso público nacional havia ainda 57 vagas para médicos assistentes e fizeram exames 160 candidatos, tendo resultado em 83 aprovações e 26 apurados sem vagas.
Para os licenciados em enfermagem de 3ª classe existiam 100 vagas, para as quais concorreram 1.324 candidatos, no que resultou em 725 aprovados e 625 apurados sem vagas. Para a categoria de técnicos médios de enfermagem de 3ª classe estavam disponíveis 952 vagas para 16.999 candidatos, dos quais 4.771 aprovaram e 3.819ficaram  apurados sem vagas.
Estavam ainda disponíveis 100 vagas para técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica de 2ª classe, nas quais concorreram 1. 720 candidatos, com 752 aprovados e 652 apurados sem vagas.
A ministra informou que para a especialidade de técnicos médios de diagnóstico e terapêutica de 2ª classe havia 200 vagas, disputadas por 4.291 concorrentes, dos quais 468 aprovaram e 268 ficaram apurados sem vagas.

Tempo

Multimédia