Sociedade

Abastecimento de água volta à normalidade

Helma Reis

O porta-voz da Epal foi contactado por telefone pelo Jornal de Angola para fazer o ponto da situação dos trabalhos de manutenção no canal inferior de Cassaque, que estão na origem das restrições no abastecimento de água potável desde o dia 10 do corrente mês.

O abastecimento de água potável na centralidade do Kilamba já está regular
Fotografia: DR

Vladimir Bernardo preferiu não mencionar o dia em que o abastecimento de água àqueles cinco municípios da província de Luan-da vai voltar à normalidade, embora os trabalhos de ma-nutenção já estejam na fase conclusiva.
“Os níveis de produção de água já estão a ser repostos, o que vai permitir às estações de tratamento de água de Luanda Sudeste, Kikuxi e Luanda Sul captarem maior volume de água para melhor distribuírem”, acentuou o porta-voz da empresa pública.
Devido aos trabalhos de manutenção, ficaram reduzidos os grupos de electrobombas na estação de bombagem de Cassaque, uma situação que origina a redução do volume de água que chega às estações de tratamento de água de Luanda Sudeste, Ki-kuxi 1 e 2 e Luanda Sul.
Localizado no rio Kwan-za, o canal de captação de águas do Cassaque alimenta o sistema três, na zona do Kikuxi, em Viana, que, por sua vez, abastece cinco dos nove municípios da província de Luanda.
Na sexta-feira, o director para a área de Produção da Epal, Albano Neca, disse à imprensa que a manutenção do canal do Cassaque vai permitir que a água nas estações de bombagem atinja os níveis desejados.
Albano Neca informou que os trabalhos de limpeza no canal, que estavam para ser feitos inicialmente em oito dias, consistem na retirada de matérias orgânicas provenientes do rio Kwanza.
A Epal colocou no local 12 máquinas e 20 trabalhadores. Os trabalhos de manutenção no canal de Cassaque são feitos anualmente e no tempo seco, explicou Albano Neca.
A Empresa Pública de Águas explora três sistemas, nomeadamente I e II, em Kifangondo, cuja água é captada no rio Bengo, e III, com captação feita a partir do rio Kwanza.
O sistema III abrange principalmente a parte sul de Luanda e foi construído com o objectivo de reforçar o fornecimento de água à cidade de Luanda.

Tempo

Multimédia