Sociedade

Adiado julgamento de Rafael Marques

O Tribunal Provincial de Luanda voltou ontem a adiar, para o dia 24 de Abril, às 10h00,  a segunda sessão de julgamento do jornalista e activista político Rafael Marques, devido à ausência do ofendido, o ex-procurador-geral da República João Maria de Sousa, que deverá ser ouvido na sede da procuradoria.

A decisão foi apresentada pela juíza da causa, Josina Ferreira Falcão, no início da sessão de ontem, argumentando que os advogados de acusação solicitaram que o ex-procurador-geral fosse ouvido em audiência, mas noutro local, atendendo ao foro especial de que goza à luz da legislação.
"Tendo em conta que o ofendido encontra-se jubilado e porque o tribunal desconhece a sua residência, não há inconveniente da parte do tribunal em ouvir o ofendido. O mesmo indicou a sede da Procuradoria-Geral da República para o local da inquisição", anunciou a juíza.
No processo em que é também arguido o jornalista Ma-riano Brás, Rafael Marques é acusado por João Maria de Sousa de crimes de injúria e ultraje ao órgão de soberania, após queixa apresentada em 2017. Em causa está uma notícia de Novembro de 2016, divulgada no portal de investigação jornalística Maka Angola, do jornalista Rafael Marques, com o título "Procurador-Geral da República envolvido em corrupção", que denunciava o negócio alegadamente ilícito realizado por João Maria de Sousa.

Tempo

Multimédia