Sociedade

Administração empenhada na recolha de animais vadios

Augusto Panzo | Cacuaco

Uma ampla campanha de recolha de animais vadios, entre cães e macacos, na via pública está a ser desenvolvida pela Administração Municipal de Cacuaco, para evitar que os bichos circulem pelas artérias da circunscrição.

O responsável manifestou se preocupado com a situação da Centralidade do Sequele
Fotografia: Edições Novembro

O director municipal do Ambiente e Serviços Sociais, Bento Rafael, disse que por falta de meios apropriados a recolha de animais vivos e mortos na via pública e, até mesmo em zonas de difícil acesso, tem sido feita com motorizadas de três rodas. Bento Rafael considera ser um trabalho difícil mas tem surtido efeito graças à dedicação do pessoal envolvido nesta campanha iniciada o ano passado, pois, referiu que são recolhidos dezenas de cães e gatos que deambu-lam pelas vias públicas”. O responsável manifestou se preocupado com a situação da Centralidade do Sequele, onde se regista maior presença de animais pelo que serão criadas, brevemente, brigadas fixas naquela urbe. “A situação na cidade do Sequele é muito preocupante, porque temos notado a presença de muitos cães vadios. Para dar respostas a esta situação, estamos a estudar a possibilidade de colocar brigadas fixas naquela Centralidade, para evitar que se multipliquem cada vez mais”, precisou.
Bento Rafael disse que a Administração Municipal de Cacuaco vai, dentro de dias, criar um plano de captura nocturna de animais vadios na Centralidade, por ser o período que os bichos ficam mais expostos junto aos contentores, onde encontram alimentos para garantir a sua sobrevivência. Tal medida, acrescentou, será extensiva a outros animais, como cabritos e porcos que são perigosos na circulação viária e se revelam determinantes na transmissão de doenças.
Para o êxito da campanha, o responsável conta com a colaboração dos sobas, sobretudo para a sensibilização da população, visto que existem bairros onde os brigadistas encontram sérias dificuldades porque os proprietários impedem a recolha dos seus animais.
O responsável considera reprovável este comportamento dos munícipes que assim procedem pelo que, em alguns casos, vê-se obrigado de solicitar a intervenção das forças policiais para a resolução de vários dos problemas que afligem as populações.

Tempo

Multimédia