Sociedade

Administrador municipal

Arão Martins | Lubango

Os restos mortais do administrador municipal de Caconda, província da Huíla, Joaquim Barbante Tyova, que morreu quarta-feira, no Hospital Central do Lubango, vítima de acidente de viação, foram ontem a enterrar no cemitério do alto da Mitchia.

Fotografia: DR

Joaquim Tyova, que foi repórter colaborador do Jornal de Angola, entre 1995 e 2007, sofreu um grave acidente de viação, a 25 de Julho, numa curva apertada no troço entre a comuna de Gungui e a sede municipal de Caconda (230 quilómetros a Norte do Lubango), quando circulava em serviço.
Em nome da Administração Municipal de Caconda, Capitão Arm´s recordou a grandeza, humanismo, patriotismo e personalidade do falecido, tendo assinalado: “Com ele aprendemos que o trabalho e as missões devem ser realizadas e bem a todo o instante e a qualquer hora”.

“Com ele, aprendemos que a lealdade e a gratidão são valores com os quais se constroem e mantêm-se boas e longas amizades”, concluiu o funcionário da Administração Municipal de Caconda, para depois serem lidas as mensagens do governador Luís Nunes, JMPLA, do Grupo de Acompanhamento do Secretariado do Bureau Político do Comité Central do MPLA, igrejas e instituições do ensino superior.

Joaquim Tyova, 44 anos, deixa viúvas e 13 filhos, foi chefe de secção para Rádio e Televisão da Direcção Provincial da Comunicação Social da Huíla, director provincial da Juventude e Desportos, chefe de Departamento de Estudos Planeamento e Estatística, da Delegação Provincial da Justiça e dos Direitos Humanos na Huíla, e presidente do conselho provincial da Juventude da Huíla.
Foi ainda representante da revista “Global Multimédia” e editor-redactor do Jornal Regional Sul “Chela Press” na Huíla, formador em jornalismo comunitário e editor do antigo programa radiofónico do Governo Provincial da Huíla “Huíla em marcha”, que era transmitido na Rádio Huíla.

Tempo

Multimédia