Sociedade

Alunos alfabetizados na província do Zaire

Kayila Silvina | MBANZA – CONGO

No âmbito do programa nacional de alfabetização, 485 cidadãos em Mbanza Congo, sede capital da província do Zaire, estão no presente ano lectivo a frequentar aulas numa escola da Igreja Católica, anunciou a coordenadora do programa para a província, a madre Rosália Cortesã

   No âmbito do programa nacional de alfabetização, 485 cidadãos em Mbanza Congo, sede capital da província do Zaire, estão no presente ano lectivo a frequentar aulas numa escola da Igreja Católica, anunciou a coordenadora do programa para a província, a madre Rosália Cortesã.
A coordenadora referiu que as aulas são asseguradas por 12 alfabetizadores. O projecto educacional da Igreja Católica, desenvolvido em toda a província, conta com o financiamento da Direcção Provincial da Educação.
As turmas são formadas por 30 alunos, que, durante três meses, são instruídos de acordo com os seus níveis.
Rosália Cortesã está satisfeita com a adesão às escolas de alfabetização da Igreja Católica espalhadas pela província do Zaire, mas lamentou o reduzido número de professores na província, o que faz com que alguns alunos matriculados não estudem. 
Os alunos têm recebido, todos os anos, da Direcção Provincial da Educação, material escolar incluindo programas, manuais, giz, quadros e outros meios.
Rosália Cortesã pediu à população da província do Zaire que ainda não sabe ler nem escrever, para vencer a vergonha e dirigir-se a uma escola de alfabetização em cada uma das missões católicas.
A madre disse também que os professores de alfabetização devem ter capacidade física e psicológica para o desempenho da actividade. “Ser paciente, sensibilizador e mobilizador são requisitos que devem constar no perfil dos professores de alfabetização, por lidarem com alunos não pertencentes ao sistema normal de ensino e por isso carecerem de maiores cuidados”, disse.
A coordenadora do Programa de alfabetização da Igreja Católica no Zaire referiu, que são decorridos quatro anos desde o arranque do processo de alfabetização, na Missão do Mpinda, localizada no município do Soyo. O arranque deste processo foi possível graças a um financiamento da Sonangol.
O objectivo da iniciativa, que permitiu a inserção de muitos alunos no primeiro ciclo do ensino geral foi auxiliar o Governo nos seus projectos tendentes à redução do índice de analfabetismo no país.

Tempo

Multimédia