Sociedade

Angolanos podem trabalhar para a ONU

Angola foi incluída no Programa Jovens Profissionais 2017 da ONU, que procura novos talentos em países com pouca representação profissional dentro da organização mundial.

Um ângulo da sede da ONU localizada em Nova Iorque
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Além de Angola, o programa para este ano, que tem também como meta reconhecer o talento de funcionários da ONU que pretendem obter promoção, incluiu o Brasil, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).
Os jovens interessados em aderir ao programa devem inscrever-se através do “site” inspira.un.org, até ao dia 22 de Agosto. Haverá uma triagem e os candidatos seleccionados nessa primeira etapa vão ter direito a fazer a prova. Quem for aprovado na parte escrita do exame passa depois por uma entrevista. Os candidatos que forem bem sucedidos em todas as fases recebem um convite para trabalhar nas Nações Unidas.
Para a edição deste ano, o concurso envolve três sectores de trabalho - Política, Paz e Sector Humanitário -, e as áreas de direitos humanos, assuntos civis, políticos e humanitários, direito e segurança.
São vários os critérios para a candidatura, como ser cidadão de um dos países-membros da ONU que participam no Programa Jovens Profissionais 2017. Para o efeito, é preciso também ter pelo menos um diploma de bacharel, ter 32 anos ou menos e ser fluente em inglês ou francês.

Tempo

Multimédia