Sociedade

Apreendidos mais 30 mil livros do ensino de base

André da Costa

Seis indivíduos, com idades compreendidas entre 35 e 45 anos, que supostamente comercializaram mais de 30 mil livros do ensino primário foram apresentados ontem à imprensa pela Polícia Nacional do município do Cazenga.

Cidadãos não se importam em levantar os documentos
Fotografia: Angop

O porta-voz da Delegação Provincial do Ministério do Interior em Luanda, intendente Mateus Rodrigues, disse que os manuais escolares foram apreendidos na quarta e quinta-feira em vários mercados informais do município do Cazenga, com realce para o mercado do Asa Branca, por serem de venda proibida.
O oficial da Polícia Nacional afirmou que os comerciantes foram detidos em flagrante delito quando vendiam os livros, num momento que considera ser de muita procura pelos pais e encarregados de educação, devido ao início das aulas, previsto para o dia 1 de Fevereiro.
Neste contexto e tendo em conta a gravidade do caso, prosseguiu, os detidos  serão  encaminhados ao Tribunal Provincial de Luanda para julgamento sumário, por incorrem no crime de desobediência, previsto e punível nos termos do artigo 188 do Código Penal.
Os mais de 30 mil livros escolares apreendidos serão revertidos a favor do Estado e restituídos às escolas públicas a que estavam destinados neste ano lectivo, que abre no dia 31 deste mês.
Mateus Rodrigues condena a atitude dos supostos comerciantes e esclarece que a Polícia Nacional e o Serviço de Investigação Criminal (SIC) estão a trabalhar em conjunto para determinar os fornecedores dos manuais escolares, no sentido de serem responsabilizados criminalmente.

Tempo

Multimédia