Sociedade

Assassinos do oficial da Polícia já detidos

André da Costa

Três indivíduos, com idades entre 24 e 26 anos, suspeitos de terem assassinado a tiro o inspector da Polícia Nacional Zeferino Barroso e um passageiro civil, no interior de um táxi, na semana passada, na Via-Expressa, em Luanda, estão já detidos e, ontem, foram apresentados à comunicação social.

Um semana depois de matarem duas pessoas num táxi, a Polícia prendeu os autores
Fotografia: Edições Novembro

O porta-voz do Serviço de Investigação Criminal, superintendente Fernando de Carvalho, disse que os três marginais “são altamente perigosos e já estiveram detidos por crimes de roubos de viaturas, em vários bairros de Luanda”.
Dias depois do assassinato no interior do táxi, dois marginais feridos recorreram a um “quimbandeiro, para através de feiticismo, abafar o caso e continuarem impunes”, revelou o porta-voz do SIC, tendo anunciado que um deles terá pago 20 mil kwanzas e outro 40 mil para o tratamento, alegando que foram vítimas de assaltos na via.
Fernando de Carvalho explicou que foi com base “num árduo e aturado trabalho de investigação e inteligência” que se conseguiu localizar e prender os três marginais, cujos processos crime correm os trâmites legais junto do Ministério Público.
Segundo a Polícia Nacional, os cinco indivíduos envolvidos no crime tinham armas de fogo. Antes do assassinato do inspector e do passageiro civil, os mesmos subiram num táxi, nas imediações do Distrito Urbano da Camama, anunciaram o assalto, ameaçaram o motorista e um deles conduziu a viatura.
Durante a marcha, um dos meliantes disparou contra um passageiro, situação que levou o inspector Zeferino Barroso a sacar da pistola e alvejar mortalmente o motorista e um outro comparsa e em resposta, um deles matou o membro da corporação e colocaram-se em fuga.
No interior da viatura, de marca Toyota Hiace "Quadradinho", morreram quatro pessoas, sendo dois marginais, um passageiro civil e o oficial da Polícia Nacional, que ainda foi a tempo de atingir outros dois meliantes, que estão feridos.

Comissário da PN assaltado

O comissário chefe reformado da Polícia Nacional, Víctor Inaculo, foi vítima de assalto, protagonizado por marginais que se faziam transportar em duas motorizadas, ocorrido na quinta-feira, na Avenida 21 de Janeiro, no Rocha Pinto, em Luanda, depois de levantar dinheiro numa agência do BFA, no Morro Bento.
O intendente Mateus Rodrigues explicou que os marginais perseguiram a viatura de marca Kia, modelo Sportage, em que seguia o comissário da Polícia Nacional, fizeram vários disparos que atingiram a cabeça do motorista, retiraram a pasta com 900 mil kwanzas e colocaram-se em fuga.
Segundo a fonte da Polícia Nacional, após os disparos, o motorista foi ainda transportado para a Clínica Girassol, onde foi confirmada a morte, enquanto que Víctor Inaculo, 67 anos, teve uma crise de tensão alta e recebe tratamento, no Hospital Militar Principal, em Luanda.
O porta-voz da Delegação Provincial do Ministério do Interior, Mateus Rodrigues, disse que diligências estão em curso no sentido de prender os meliantes envolvidos neste assalto, que mais uma vez chocou os luandenses.

Tempo

Multimédia