Sociedade

Associação de professores quer filiados bem formados

Fula Martins

Os professores foram aconselhados a primarem pela formação académica e aprimorarem os conhecimentos sobre o uso das novas tecnologias, com vista a facilitar a comunicação e a informação com os estudantes.

Fotografia: DR

O secretário provincial de Luanda da Associação dos Professores Angolanos (APA), Domingos Álvaro, considerou fundamental os professores elevarem o nível de conhecimento para melhor formar os estudantes.
Falando, na segunda-feira, a propósito do Dia Nacional do Professor, que se assinala amanhã, solicitou a estrutura de direito no sentido de primar pela formação permanente dos docentes, sobretudo para os que possuem três anos de carreira, bem como os que não têm agregação pedagógica.
O responsável defende a nomeação de quadros com experiência comprovada para dirigir as instituições de ensino.
Domingos Álvaro lembrou que, em 2002, o país registou uma explosão escolar e foi necessário cobrir as vagas com vários professores, mas reconheceu que, na altura, não havia docentes preparados para o ensino primário.
Para se dar cobertura escolar, face às exigências actuais e à falta de professores capacitados, disse que se procedeu à reforma do sistema de ensino para o remodelar e estruturar.
Apesar da reforma, o país continua a ter debilidades na formação dos professores, porque a mesma não conferiu qualidade aos docentes.
“A Reforma Educativa veio para adaptar o sistema e crescer com o próprio país, porque não podia parar”, realçou o responsável, para quem os bons professores são aqueles formados nas instituições vocacionadas para tal.
Domingos Álvaro apontou o Magistério Primário, Institutos Médio Normal (IMNE) e Superior de Educação (ISCED) como instituições que formam professores que dominam a arte de ensinar.
Em seu entender, os professores do ensino primário devem ser formados na Escola de Formação de Professores, para transmitirem os conhecimentos que aprendem durante a acção formativa.
No contexto anterior, a situação exigiu que entrassem para o sector professores sem formação pedagógica que, até nos dias de hoje, continuam a leccionar porque os alunos não podem ficar sem estudar.
“O Executivo tem consciência disso e procura actualizar cada vez mais os conhecimentos dos professores. Também defendemos a melhoria das condições das escolas em todo o país”.

Tempo

Multimédia