Sociedade

Base Logística do Kwanda sob cerca sanitária

Victor Mayala | Soyo

A Base Logística de Apoio às Empresas Petrolíferas no município do Soyo, província do Zaire, encontra-se, desde a tarde de ontem, sob cerca sanitária, devido o registo de quatro casos positivos da Covid-19, entre os funcionários do Projecto de Exploração de Gás Natural Liquefeito.

Base Logística do Kwanda sob cerca sanitária
Fotografia: DR

O cordão sanitário foi estabelecido no final da visita do secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, que avaliou “in loco” a situação epidemiológica, com vista a implementação de medidas para o corte da cadeia de transmissão.

“Depois de um trabalho aturado, chegámos à conclusão que há necessidade de instituir um cordão sanitário na Base do Kwanda. Apesar disso, as operações internas vão continuar. Temos nesta base cerca de 800 pessoas, a maioria das quais já foi testada. Há 22 casos reactivos, cujas amostras vamos levar para Luanda, para testes de Biologia Molecular ”, disse.

Franco Mufinda referiu ainda que, neste momento, falta a confirmação de um total de 19 amostras de casos suspeitos, constituindo mais uma razão para a interdição da Base Logística do Kwanda.

“Deixamos também claro que há a necessidade de abrir e tornar funcional o centro de tratamento da Angola LNG, com capacidade para dez camas e seis ventiladores. O centro tem cinco médicos intensivistas, 14 enfermeiros com formação especializada em Cuidados Intensivos e uma ambulância de apoio, para poder dar resposta cabal no acompanhamento das pessoas”, referiu.

O secretário de Estado para a Saúde Pública defendeu também a necessidade de ser activado o centro de quarentena com 80 camas no Projecto Angola LNG, para, por um lado, fazer o acompanhamento de doentes assintomáticos e, por outro, servir de uma área de isolamento.

“No debate que tivemos na Base do Kwanda, ficou patente que as pessoas vinham de fora da Base, ficavam de quarentena 14 dias e no final não eram submetidas a testes, por isso recomendamos às empresas petrolíferas que façam a testagem dos funcionários, antes de seguirem para os trabalhos em Offshore, de modo a garantir segurança”, disse.

Franco Mufinda disse que serão disponibilizados testes e instalado um laboratório na Base do Kwanda, para facilitar a gestão de casos e fluidez de pessoas. O secretário de Estado para a Saúde Pública notou que, com o surgimento dos casos positivos da Covid-19, será intensificado o trabalho de vigilância epidemiológica nas comunidades do Soyo, tendo, por isso, visitado o Hospital Municipal e o centro de quarentena institucional, localizado na zona do Kitona, a cerca de 15 quilómetros da vila petrolífera.

O director-geral da Base Logística do Kwanda, Orvalho de Deus, disse que a actividade de apoio à indústria petrolífera vai continuar a funcionar na sua plenitude, apesar de haver algumas dificuldades, em termos de rotação de funcionários, tendo em conta as restrições impostas pela Covid-19.

Orvalho de Deus avançou que, actualmente, a Base do Kwanda conta com um total de 35 clientes (empresas), entre nacionais e estrangeiras.
Quatro especialistas de distintas áreas de Saúde, saídos de Luanda, trabalham por alguns dias no município do Soyo, onde efectuam um levantamento da situação epidemiológica, com vista a adopção de medidas de Saúde Pública, além de realizar acções de capacitação dos técnicos locais sobre a gestão de casos positivos da doença.

Tempo

Multimédia