Sociedade

Bastonário angolano eleito presidente da União dos Advogados de Língua Portuguesa

Nhuca Júnior

O bastonário da Ordem dos Advogados de Angola (OAA), Luís Paulo Monteiro, foi eleito, segunda-feira, em Lisboa, para um mandato de dois anos, presidente da União dos Advogados de Língua Portuguesa (UALP), durante a XXXI assembleia-geral da organização profissional.

Luís Paulo Monteiro declarou que a promoção de formações sobre estágios de advogados é uma das grandes linhas de força do programa
Fotografia: DR

O advogado angolano substitui no cargo o antigo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Cláudio Lamachia, que presidiu à assembleia-geral na qualidade de presidente cessante.

A assembleia-geral, realizada na sede da Ordem dos Advogados Portugueses, elegeu, por unanimidade, a nova direcção da UALP, que integra a bastonária da Ordem dos Advogados de São Tomé e Príncipe, Célia Posser, como primeira vice-presidente, e o bastonário da Ordem dos Advogados da Guiné-Bissau, Basílio Mancuro Sanca, como segundo vice-presidente.

Para o Conselho Fiscal da União dos Advogados de Língua Portuguesa foi eleito o bastonário da Ordem dos Advogados Portugueses, Guilherme Figueiredo. Além da eleição da nova direcção, a assembleia-geral discutiu, entre outros temas, a alteração dos estatutos da União dos Advogados de Língua Portuguesa.

Criada em 2002, inicialmente com a designação de “Associação das Ordens e Associações de Advogados dos Países de Língua Portuguesa”, a organização adoptou, desde 2005, a actual denominação, congregando mais de um milhão e trezentos mil advogados.

Num contacto com o Jornal de Angola, o novo presidente da União dos Advogados de Língua Portuguesa informou que o número actual de advogados em actividade nos países lusófonos representa 25 por cento do total de advogados existentes no Mundo.

Luís Paulo Monteiro, investido no cargo no mesmo dia da sua eleição, declarou que a promoção de formações sobre estágios de advogados é uma das grandes linhas de força do programa que vai desenvolver no seu mandato de dois anos.

O responsável adiantou que cada país membro da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) tem especificidades próprias, mas com problemas comuns, principalmente relacionados com a violação das prerrogativas dos advogados.

Luís Paulo Monteiro é bastonário da Ordem dos Advogados de Angola desde 2018 e o seu mandato termina no próximo ano. Oficialmente, ainda não se pronunciou se vai ou não se recandidatar para um segundo mandato de dois anos.

Tempo

Multimédia