Sociedade

Bispo emérito chama a atenção para os desafios

André Brandão | Ndalatando

O bispo emérito da Igreja Metodista Unida, Emílio Júlio Miguel de Carvalho, afirmou ontem na abertura da 32ª Conferência Anual do Oeste de Angola que o metodismo vive um momento baralhado da sua história, mergulhado em programas que nem sempre correspondem às imensas necessidades e prioridades da comunidade metodista e do povo angolano em geral.

Cúpula da Igreja Metodista Unida de Angola está reunida na cidade de Ndalatando para discutir e definir os rumos a dar à confissão religiosa
Fotografia: André Brandão | Ndalatando-Edições Novembro

Referindo-se aos pastores e delegados que desejam passar por cima das suas obrigações essenciais, Emílio de Carvalho disse que a Igreja Metodista Unida está alheia aos desafios da história e dos seus limites institucionais, perdendo tempo a tactear com os olhos fechados  e a apostar num futuro desconhecido, enquanto deixam para trás o cumprimento da exigência do evangelho em relação ao próximo.
Segundo o bispo emérito, o amor se move em três direcções principais: a de Deus para os homens, a dos homens para Deus e a de cada pessoa para outra.
Pediu para cada um amar o próximo como a si mesmo, pelo que o amor ao próximo não deve ser calculista e restrito, como se fosse apenas o cumprimento de uma obrigação,   porque existem pessoas mais necessitadas que os outros e que muitas vezes precisam apenas de um braço amigo para prosseguir o seu caminho.
Realçou que o metodismo norte-americano vive hoje momentos dramáticos da sua história, pelo que, durante a última sessão da conferência geral da Igreja Metodista Unida, onde participou, disse, “pude ver que vários segmentos da igreja e da sociedade estão a ser desafiados por correntes de homossexuais, lésbicas e transexuais que desafiam a unidade da igreja, chegando mesmo a interromper as sessões da conferência geral para reivindicar os seus direitos”.
“Nós em África vivemos momentos diferentes, não se pode dizer ainda que vivemos momento idênticos como nos Estados Unidos e outras partes do mundo. Embora pertençamos à mesma igreja, não vejo ser possível abrir as portas, os corações e as mentes a todas as tendências de ilusionistas e comportamentos que caraterizam a sociedade e a igreja norte-americana”, disse.
Para ele, a portas, os corações e as mentes da igreja e dos fiéis metodistas estarão sempre abertos a todas as pessoas que sentirem desejo de se deixar transformar pelo poder do evangelho de Jesus Cristo, deixando as práticas contrárias à sua doutrina e praticando as coisas que estão recomendadas pela disciplina e ética da igreja.

Evitar o mal


Referiu que as regras gerais da Igreja Metodista Unida exigem evitar o mal de toda a espécie, fazendo bem e observando todos os preceitos de Deus.
Em nome da população do Cuanza Norte, o governador José Maria Ferraz deu as boas vindas aos dignatários e aos fiéis da Igreja Metodista que se deslocaram à cidade de Ndalatando. De acordo com o governador, a indicação da cidade de Ndalatando para acolher a conferência foi aceite com muita alegria e satisfação.
O bispo Gaspar João Domingos, líder da Igreja Metodista, agradeceu na terça-feira, numa audiência que lhe foi concedida por José Maria dos Santos, o empenho directo do governador do Cuanza Norte e da sua equipa na preparação da conferência, o que, segundo afirmou, encorajou a marcação definitiva do fórum para Ndalatando, ao invés de Luanda, onde devia ter lugar.
O bispo qualificou o evento que acontece anualmente como uma oportunidade de balancear as actividades realizadas durante o ano e perspectivar o que se pretende no período seguinte. Conforme disse, a presente conferência tem ainda a missão de ordenação e recepção de novos candidatos ao ministério pastoral. “Também faremos as nomeações que conferem aos pastores e pastoras a possibilidade de trabalharem numa ou noutra igreja para onde virem a ser nomeados”, esclareceu o bispo.
Da Conferência Anual do Oeste de Angola fazem parte as províncias de Luanda, Cuanza Norte, Malanje, Huambo, Benguela, Bengo, Zaire, Cuanza Sul, Uíge, Cabinda e Namibe. As demais províncias do país constituem a Conferência Anual do Leste de Angola.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia