Sociedade

Bolsas de estudo em atraso vão ser pagas antes de Maio

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação declarou, num comunicado, ser falsa a informação que circula nas redes sociais de que o Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE) só estaria em condições de pagar em Maio o complemento de bolsas aos estudantes a expensas do Estado no exterior por causa da crise financeira.

Crise financeira continuam a afectar os estudantes bolseiros
Fotografia: Edições Novembro

A falsa informação está contida num telex com a referência 041/DBEE/2018, de 21 de Fevereiro de 2018, que circula no meio estudantil em Cuba e cuja produção é atribuída ao INAGBE, o que não corresponde à verdade.
O documento esclarece que o INAGBE produziu, sim, um telex, que, por coincidência, tem o mesmo número, mas com conteúdo diferente do que se encontra na mensagem que está a circular nas redes sociais. O Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo e o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação têm mantido contactos permanentes com o Ministério das Finanças e com os bancos envolvidos para a resolução urgente dos atrasos no pagamento das bolsas de estudo, lê-se no comunicado. No documento, o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação assegura que o INAGBE “está a desenvolver todas as diligências possíveis para a regularização imediata da situação dos atrasos no pagamento das bolsas de estudo, pelo que não é verdade que os estudantes só receberão em Maio”.
Por esta razão, o Instituto declina toda a responsabilidade inerente a esta informação, porque o telex emitido com a referência 041/DBEE/2018, de 21 de Fevereiro de 2018, não tem o conteúdo que está a circular nas redes sociais. As autoridades nacionais tratarão, de acordo com o comunicado, de identificar, desmascarar e levar à justiça o(s) autor(es) desta acção que apenas visa causar confusão e descrédito.

Tempo

Multimédia