Sociedade

Campanha contra a Sida nas festas de Carnaval

Cerca de um milhão de preservativos foram distribuídos durante os festejos do carnaval, em Luanda, pela Rede Angolana das Organizações de Serviço de Sida (ANASO), que, ao mesmo tempo, realizou, desde o dia 10 do corrente mês, uma campanha de testagem voluntária do VIH e disponibilização de informações sobre a Sida nos  principais centros populacionais da capital.

Cerca de um milhão de preservativos foram distribuídos durante os festejos do carnaval, em Luanda, pela Rede Angolana das Organizações de Serviço de Sida (ANASO), que, ao mesmo tempo, realizou, desde o dia 10 do corrente mês, uma campanha de testagem volu
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Sob o lema “Carnaval Sem Sida: Mbora Usar a Camisinha”, a Rede Angolana das Organizações de Serviço de Sida  realizou  também testes para despistes de doenças sexualmente transmissíveis e ofereceu outros serviços de prevenção comunitária.
De acordo com uma nota de imprensa enviada ao Jornal de Angola,  a campanha vai até hoje, Dia dos Namorados, por ser um dia bastante sensível, no qual as pessoas excedem o uso do álcool e de outras drogas e têm um comportamento de  risco acentuado.
A campanha visa  sensibilizar a população para a prevenção contra o VHI e SIDA no período do Carnaval e no Dia dos Namorados. Para o efeito, estão mobilizados cerca de cem activista e conselheiros, contando com o apoio do Instituto Nacional de Luta Conta Sida(INLS), ONUSIDA e World Vision.
“Tendo em conta a importância  das acções de prevenção e a natureza dessa campanhas, as mesmas, apesar de  serem iniciativas da Rede Angolana das Organizações de Serviço de Sida, espera-se contar com o apoio de toda sociedade, tendo em conta o impacto positivo que produzem”,lê-se na nota.
A Rede Angolana das Organizações de Serviço de Sida diz lamentar não poder participar  este ano no desfile do Carnaval com Bloco Vermelho, um bloco de animação que se traduz no abraço da juventude na luta contra a Sida, por falta de apoios.
Em 1985 foi notificado o  primeiro caso de VIH em Angola.

Tempo

Multimédia