Sociedade

Campanha “BI Dipanda” decorre dentro do previsto

Edivaldo Cristóvão

Ao todo, 1.554 bilhetes de identidade foram emitidos no sábado último, primeiro dia da campanha “BI Dipanda”, que começou em 10 províncias e destinada a cidadãos dos seis aos 17 anos.

Mais crianças com BI no país
Fotografia: Contreiras Pipas | Edições Novembro

A campanha é promovida pelo Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos e vai decorrer durante o mês de Novembro, mas apenas aos sábados, das 8h00 às 12H00, devendo ser realizada nas 18 províncias do país. 
Um documento do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, enviado ontem ao Jornal de Angola, refere que a campanha enquadra-se num programa comemorativo do 11 de Novembro, data em que, em 1975, foi proclamada a Independência.
A campanha começou nas províncias do Bié, Benguela, Cuando Cubango, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Luanda, Huambo, Huíla, Namibe e Uíge. Luanda, com 977 de bilhetes emitidos, é a província que emitiu o maior número do documento nacional, informa o comunicado, no qual se lê que a campanha vai estender-se às restantes províncias com condições de fazer “um registo mais célere e eficaz”.
A campanha, acentua o comunicado, tem como objectivo viabilizar a atribuição do Bilhete de Identidade a crianças em idade escolar, dos seis aos 17 anos, e estimular os encarregados de educação a darem a devida atenção à aquisição do documento “num mês com me-nos afluência”.
A campanha decorre nas repartições de Identificação Civil e Criminal. O Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos recomenda aos pais e encarregados de educação a acompanharem os educandos às repartições de Identificação Civil e Criminal, a fim de prestarem, sempre que necessário, informações solicitadas no acto de recolha de dados.
O prazo de entrega dos bilhetes é de 48horas úteis para Luanda, sete dias para as capitais provinciais e 15 dias para os municípios. Em Junho, o departamento mi-nisterial lançou uma campanha semelhante em escolas do município de Viana.
Na abertura da campanha, o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francis-co Queiroz, revelou que, em Angola, 75 por cento das cri-anças dos zero aos quatro anos não estavam registadas, en-quanto apenas 50 por cento dos 5 aos 14 tinham Bilhete de Identidade.

Tempo

Multimédia