Sociedade

Canal National Geographic emite filme sobre Angola

Manuela Gomes

Um memorando de entendimento para a exibição regular de filmes e documentários sobre a fauna e a flora angolanas vai ser rubricado nos próximos dias, em Nova Iorque, Estados Unidos da América, entre o Ministério do Ambiente e o canal National Geographic, anunciou ontem , ao Jornal de Angola, a titular da pasta do sector.

Elefantes são animais presentes na fauna angolana e que serão vistos pelo mundo
Fotografia: Nicolau Vasco| Cuando-Cubango | Edições Novembro

 Paula Francisco Coelho garantiu que neste momento está a ser elaborado um memorando de entendimento entre o sector e a equipa técnica de especialistas da ex-pedição da National Geogphic. Disse que a ideia da proposta de um protocolo entre as instituições saiu dos vários encontros mantidos com os presidentes dos Conselhos de Administração do canal National Geographic (NatGeo).
“Há uma abordagem no sentido de se criar um Comité de Supervisão, por parte do Governo angolano, para a indicação de uma equipa técnica de especialistas nacionais para participar da realização de expedições no nosso território”, precisou.
De acordo com a ministra, da parte de Angola está acordada a realização de um trabalho interno a nível do Ministério do Ambiente com o Instituto da Biodiversidade e de universidades parceiras para análise do trabalho e a continuidade na identificação quer nas espécies da fauna, quer da flora.
A ministra do Ambiente, que assistiu à exibição de um filme produzido pela National Geographic, em Nova Iorque, que retrata uma expedição sobre a bacia Cubango-Okavango, disse que o mesmo será apresentado em Angola no próximo mês de Maio.

Prémio internacional

O filme angolano, de acordo a responsável, está a concorrer para um prémio internacional de filmes, recordando que houve uma grande adesão por parte dos participantes e telespectadores do Festival Tribeca Nova Iorque.
“Devemos acautelar que os outros documentários estão a serem feitos, uma vez que há necessidade de incluir também os nossos meios de informação”, sustentou a governante, para quem o filme sobre Cubango-Okavango baseia-se na exibição de 1.050 amostras de plantas, três mil de peixes, 99 de répteis e anfíbios, 407 aves e 43 mamíferos, resultados de uma expedição de conservação da bacia.
A longa metragem tem igualmente para breve, proposta de exibição no canal NatGeo, para mais de 150 países no mundo. Outras películas para futuras exibições no respectivo canal vão ser negociadas e analisadas para um futuro memorando.
O filme sobre a bacia Cubango-Okavango é fruto de um memorando assinado há três anos, entre o Ministé-rio do Ambiente e a National Geographic.
A ministra do Ambiente referiu que o memorando enquadra-se no Plano Estratégico de Expansão das Áreas de Conservação a nível nacional, bem como a criação de novas áreas para as zonas húmidas.
As ministras do Ambiente e Turismo, respectivamente, Paula Francisco Coelho e Ângela Bragança mantiveram encontros paralelos com Organizações Não Governamentais, que também realizam estudos e programas com foco ambiental, engajamento e impacto sócio económico das comunidades locais e educação ambiental.

Tempo

Multimédia