Sociedade

Cantora está arrependida

André da Costa |

A kudurista angolana Genilma Campos, 19 anos, conhecida por se despir em palco, durante alguns espectáculos, cujas imagens tornaram-se virais nas redes sociais, revelou, ontem, em Luanda, estar completamente arrependida de tais práticas e prometeu jamais postar fotografias do género.

Genilda Campos garantiu que já retirou da sua página na internet as fotografias e vídeos comprometedores
Fotografia: Jaimagens | Fotógrafo

Na sua página pessoal do Facebook, a kudurista tem várias fotografias e vídeos em que aparece exibindo o corpo sem roupa, imagens que também se tornaram virais nas redes sociais, o que levou o Serviço de Investigação Criminal a interrogá-la, sob a acusação de atentado ao pudor.
Ontem, em declarações ao Jornal de Angola, nas instalações do Serviço de Investigação Criminal (SIC), onde recebe aconselhamento psicológico por parte de especialistas, Genilma Campos assegurou que já começou a retirar da sua página na internet as fotografias que propositadamente publicou com a finalidade de ter vários seguidores.
Tal decisão ocorreu depois de começar, há um mês, a receber acompanhamento psicológico por parte dos especialistas do SIC, tendo garantido que várias imagens gravadas, em Benguela, onde reside com o pai, foram já retiradas.
Genilma Campos, que trajava calças jeans, azul, chinelas brancas e blusa azul, afirmou que publicou reiteradas vezes fotografias indecentes na internet, inspirada em Jéssica Pitbul, outra cantora de kuduro, muito conhecida nas redes sociais.
No interior das instalações do SIC, Genilma evitou ser fotografada ou filmada pelas televisões presentes, alegando não estar preparada psicologicamente para o efeito.
No entanto, prometeu seguir os conselhos dos profissionais de Psicologia, por forma a moldar a sua conduta, muito criticada por vários internautas, devido à exibição da sua nudez diante do público.
“Vou ficar no meu canto e nas próximas aparições prometo não mais voltar a tirar fotos nuas, nem publicá-las, porque se eu passar dos limites, ainda posso entrar na cadeia, situação que pretendo evitar”, disse.
Como garantia de jamais voltar a publicar imagens comprometedoras, Genilma Campos frisou que “podem controlar porque eu até mostrei a minha página oficial aos efectivos do SIC, onde apaguei várias imagens”, disse, acrescentando que a sua publicação nas redes sociais tem perto de 50 mil seguidores.
Genilma Campos afirmou várias vezes nas redes sociais ser a única jovem gostosa e enviou recados a outras mulheres, alegando que continuaria a alimentar os olhos dos maridos de outras jovens.

Ela vive um estereótipo


Genilma Campos precisa de apoio psicológico por viver um estereótipo e, apesar dos seus 19 anos, falta-lhe ainda capacidade para poder discernir o mal que ela tem estado a fazer a si mesma e à sociedade, através de fotos e vídeos íntimos, disse a psicóloga Conceição Nhanga.
A chefe do Departamento de Combate à Violência Doméstica do Serviço de Investigação Criminal, Conceição Nhanga, explicou que o gabinete faz o acompanhamento psicológico de pessoas que necessitam de ajuda, no sentido de auxiliá-las a lidar com certas situações que ocorrem na sociedade, como é o caso da jovem Genilma Campos.
Conceição Nhanga disse que as imagens publicadas pela cantora nas redes sociais estão a chocar a sociedade, chegando mesmo a ofender a moral pública, o que preocupa também o SIC, pelo que se está a ajudar a cantora a lidar com a situação.
O trabalho de acompanhamento psicológico é feito por três especialistas que ajudam Genilma a identificar o erro que tem estado a cometer e a forma como feriu o moral público.
“Ela já assumiu connosco o compromisso de não voltar a fazer e que vai melhorar a sua conduta”, disse Conceição Nhanga, acrescentando que o trabalho psicológico levado a cabo com a cantora já a ajudou a reparar que a forma como tem se exposto, no sentido de ganhar visibilidade pública, é negativa.
O trabalho do SIC com Genilma Campos está a ser feito há um mês e começou com a sua localização em Benguela, até a sua estadia em Luanda. Genilma entrou para o mundo da música aos 14 anos.
“Como ela não tem uma personalidade muito bem formada, vai seguindo o desempenho de outras cantoras com muito má fama na sociedade e, em função dos erros cometidos pela sua índole, pretende redimir-se e alterar a sua conduta”, disse, acrescentando que Genilma Campos, que parou de estudar há alguns anos, é vítima da globalização, na era das redes sociais.
A chefe do Departamento de Combate à Violência Doméstica sublinhou que o trabalho levado a cabo com a cantora está mais virado para a vertente preventiva e não repressiva e vai continuar durante alguns meses.

Tempo

Multimédia