Sociedade

Casamentos precoces afectam mais meninas

Alexa Sonhi

O Representante do UNICEF em Angola está preocupado com a falta de instrução às raparigas, que as leva a engravidar na adolescência, comprometendo o seu futuro.

O Executivo cria estratégias para inverter o actual quadro
Fotografia: DR

As raparigas angolanas têm dez vezes mais probabilidades de se casarem cedo em relação aos rapazes. Os dados foram apresentados quarta-feira, em Luanda, pelo representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em Angola, Abubacar Sultan, depois de um estudo realizado com o Instituto Nacional de Estatística (INE). 

O representante do UNICEF em Angola falava durante um encontro com o Ministério da Juventude e Desportos, que serviu para abordar a problemática da juventude no país.
O UNICEF e o Ministério da Juventude e Desportos acordaram, para os próximos tempos, criar programas que visam reduzir ao máximo o número de meninas que engravidam e se casam na adolescência, acabando por comprometer o seu futuro.
Abubacar Sultan, em declarações à imprensa, no final da reunião, considerou que as meninas, ao engravidarem muito cedo, estão sujeitas ao casamento precoce, à falta de instrução e educação, bem como a outras oportunidades que podiam ter.
“Isso preocupa-nos, porque educar uma mulher equivale a educar uma sociedade, exactamente por ser a mulher a passar mais tempo com os filhos. Logo, se lhe faltar esta educação e a instrução necessária, ela terá dificuldade em criar cidadãos instruídos”, referiu Abubacar Sultan.
Para o representante do UNICEF, é importante interromper este ciclo, focar na educação das meninas e dar-lhes maiores oportunidades para que se combata a pobreza, permitindo que cada criança tenha acesso a tudo aquilo a que tem direito na fase de desenvolvimento.
Abubacar Sultan acrescentou que só assim é possível ter cidadãos preparados para enfrentar os desafios da vida adulta, no memento certo, tal como casar e ter filhos.
“Vamos procurar apoiar, cada vez mais, o Ministério da Juventude e Desportos”, salientou Abubacar Sultan.
A ministra da Juventude e Desporto, Ana Paulo Neto, disse ser importante que todos os que trabalham na implementação de projectos direccionados aos adolescentes e jovens o façam “com responsabilidade e rigor”.

Tempo

Multimédia