Sociedade

Centro de saúde no trabalho na Zona Económica Especial

Helma Reis|

Um Centro de Segurança e Saúde no Trabalho vai funcionar, a partir de hoje, na Zona Económica Especial (ZEE), para verificar as causas dos acidentes de trabalho e avaliar os riscos a que os trabalhadores correm.

Fotografia: Edições Novembro

A informação foi avançada à imprensa pela directora do Centro de Segurança e Saúde no Trabalho, Isabel Cardoso, que disse ser uma experiência piloto a instalação de um centro na Zona Económica Especial, onde estão em funcionamento 32 empresas.
Isabel Cardoso esclareceu que o objectivo do centro é ajudar as empresas a eliminarem os riscos de acidentes de trabalho e de doenças profissionais.
A directora Isabel Cardoso explicou que proteger o trabalhador não elimina o risco no local de trabalho, mas diminui os danos resultantes de um acidente de trabalho.
Os riscos psicossociais e o stress, associados a problemas familiares, são, no entender de Isabel Cardoso, o maior desafio para o Centro de Segurança e Saúde no Trabalho porque podem comprometer a produção de qualquer empresa e trazer perigos à saúde de trabalhadores. A responsável citou o Plano de Desenvolvimento Nacional para afirmar que a estratégia do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social é acabar com os riscos de acidentes de trabalho.
A directora Isabel Cardoso salientou que o centro, tutelado por aquele departamento ministerial, trabalha num programa com o objectivo de os locais de trabalho no país serem saudáveis e seguros. O centro está também atento às doenças profissionais, garantiu Isabel Cardoso, que disse estar o centro a promover a saúde e o bem-estar dos trabalhadores dos sectores público e privado.
“É preciso mudar o conceito daquilo que é a saúde ocupacional no país e, para isso, pretendemos dar a possibilidade às empresas de trabalharem nesta área, devendo o centro servir de apoio para que possam fazer este trabalho de uma forma adequada”, salientou Isabel Cardoso.

Aumento significativo


Ao todo, 1.499 acidentes de trabalho foram notificados no país, em 2018, pela Inspecção Geral do Trabalho, informou a inspectora-geral Nzinga do Ceú, que disse ter havido um aumento significativo, em comparação com 2017, em que foram notificados 1.096 casos.
De acordo com Nzinga do Céu, o registo do crescimento do número de acidentes de trabalho é resultante do trabalho de divulgação do centro junto das entidades empregadoras.
“O objectivo é alcançar zero acidentes de trabalho e, por esta razão o nosso trabalho é realizado em todas as empresas e está contemplado na Lei Geral do Trabalho”, declarou Nzinga do Céu.

Tempo

Multimédia