Sociedade

Centro "às moscas" em Icolo e Bengo

Mazarino da Cunha

Sem nenhuma explicação por parte do Ministério do Interior, o Centro de Reeducação do Caquenque, na comuna do Caculo Cahango, município do Icolo e Bengo, encontra-se abandonado, há mais de dois anos, de acordo com declarações da vice-governadora para Área Política e Social, Ana Paula Correia Víctor.

Governador visitou instituição abandonada
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

Com capacidade para 482 reclusos, o centro com uma extensão de três hectares, foi projectado para acolher, reeducar e garantir formação técnica e profissional, bem como o posterior reenquadramento na sociedade, de menores em conflito com a justiça.
Para melhor averiguar o estado da infra-estrutura, o governador de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, esteve no local ontem, encabeçando uma delegação multissectorial a nível da província.
Após a visita, a vice-governadora, chamada a falar à comunicação social, manifestou-se indignada pelo que viu e disse que nos próximos dias vai solicitar ao Ministério do Interior esclarecimentos sobre a inoperância daquele centro.
O governador de Luanda visitou ainda um projecto habitacional, na localidade de Caculo Cahango, composto por 212 fogos habitacionais, já em fase adiantada de construção, para realojar as populações que vivem nos arredores do Novo Aeroporto Internacional de Luanda.

Tempo

Multimédia