Sociedade

China já autoriza vacina contra o ébola

A China autorizou  uma vacina contra o ébola desenvolvida no país, anunciou ontem a Administração de Alimentos e Medicamentos da China (CFDA),  o que a transforma no terceiro país a obter esta fórmula depois dos Estados Unidos e da Rússia.


A vacina foi criada pela Academia Chinesa de Ciências Médicas e pela companhia de biotecnologia CanSino Biologics, sedeada na cidade portuária de Tianjin e dedicada ao desenvolvimento e comercialização de vacinas para seres humanos.
O composto é baseado na mutação genética do vírus do ébola de 2014 e tem a forma de um pó liofilizado, que permite que se mantenha estável em temperaturas de até 37 graus centígrados durante um máximo de duas semanas e ser adequada, por isso, para o clima da África Ocidental.
Clinicamente autorizada pela CFDA em Fevereiro de 2015, a vacina foi testada na Serra Leoa, um dos países mais que  foi muito afectado por esta doença.
O vírus Ébola foi descoberto em 1976 e nos últimos quatro anos afectou de forma severa países como a Guiné, Libéria e a Serra Leoa, onde matou mais de 11 mil pessoas.
A doença do vírus Ebola (anteriormente conhecida como febre hemorrágica Ebola) é uma doença grave, muitas vezes fatal, com uma taxa de letalidade que pode chegar aos 90 por cento.
A doença afecta os seres humanos e primatas não-humanos (macacos, gorilas e chimpanzés). O Ebola foi identificado pela primeira vez em 1976, em dois surtos simultâneos: um numa aldeia perto do rio Ebola, na República Democrática do Congo, e outro Sudão.

Tempo

Multimédia