Sociedade

Cinco novas escolas públicas entram em funcionamento

Kátia Ramos

Cinco novas escolas do Iº e II ciclos de ensino geral entram em funcionamento, a partir de Fevereiro de 2020, no município de Talatona, em Luanda, que se vão juntar às 48 já existentes.

Novas escolas vão ajudar absorver maior número de alunos fora do sistema de ensino
Fotografia: Edições Novembro

A informação foi avançada, ontem, em Luanda, pelo administrador do município de Talatona, Ermelindo Pereira, durante o fórum municipal sobre o desenvolvimento da Educação, que decorreu sob o lema “Resgatar a confiança na escola pública”, informando que, das 427 escolas existentes no município, 48 são estatais e 379 privadas.

O administrador explicou que o maior número de escolas na circunscrição são do sector privado, argumentando que tal deveu-se a divisão política administrativa, que antes pertenceu ao município de Luanda, Belas e actualmente de Talatona.
Disse que o município conta com um padrão de desenvolvimento e de infra-estruturas criadas para albergar uma determinada classe de cidadãos com alguma diferenciação.
Neste momento, disse o responsável, a grande prioridade recai nos sectores da Saúde e da Educação, daí que o primeiro programa de intervenção integrada nos Municípios assente na construção de cinco escolas públicas.
“Não se trata de uma desvantagem para o sector público o facto de haver mais escolas privadas no município. A questão é que existe uma franja da nossa sociedade mais carenciada, sem condições para poderem estudar naquelas instituições, logo os poucos estabelecimento de ensino que existem acabam por estar superlotados, constituindo uma preocupação das autoridades”, disse.
Em função disso, esclareceu que foi feito um diagnóstico, tendo sido verificado que algumas escolas estatais estão superlotadas e outras com falta de professores.
“Pretendemos criar condições para o funcionamento dos três turnos, bem como a melhoria das escolas existentes com espaço para a expansão”, disse.
Para o administrador de Talatona, existe um grande problema de identificação de espaços no território para a construção de projectos sociais, referindo que, para tal, tem contado com apoio da comunidade que se tem disponibilizado a encontrar espaços para a criação de infra-estruturas.
Ermelindo Pereira destacou o apoio e a pronta colaboração do sector privado, tendo em conta que um dos empresário prontificou-se a oferecer, no Mussulo, até Fevereiro, uma escola do ensino primário e secundário aos munícipes de Talatona.
A grande preocupação neste momento, disse, tem a ver com a época chuvosa, tendo em conta que todas as valas de drenagem da parte sul desaguam no Talatona e o facto de haver muitas casas de construção autodirigida em locais ribeirinhos.
O fórum sobre o desenvolvimento da educação insere-se no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação (PNDE-2017-2030) e das acções do sector da Educação de Luanda.
No evento foram discutidos aspectos metodológicos, teóricos e técnicos a serem tidos em conta na implementação da Escola de Confiança.
A Escola de Confiança é entendida como uma instituição, cuja operacionalização permite produzir conhecimentos, cidadãos críticos na sua realidade socio-económico, cultural e político.
O director municipal da Educação de Talatona, Manuel Gonga, disse que o fórum visa elucidar o caminho e o intercâmbio institucional que devem existir, para que o desenvolvimento da educação no município seja uma realidade.
Manuel Gonga revelou, que, no município, existe uma desigualdade, pois o sector privado conta com 379 escolas e apenas 48 são públicas, razão pela qual há maior procura que a oferta nas últimas.

Tempo

Multimédia