Sociedade

Comandante-geral garante combate cerrado aos criminosos

Justino Victorino/ Huambo

O comandante-geral da Polícia Nacional, comissário-chefe, Paulo de Almeida, disse que a maior parte dos crimes que ocorreram nos últimos dias na cidade do Huambo foram protagonizados por elementos foragidos de Luanda ou ligados a grupos que actuam na capital do país.

Comandante da Polícia fez a entrega de meios no Huambo
Fotografia: Edições Novembro

A Polícia, segundo Paulo de Almeida, tem estes elementos “devidamente classificados”, razão pela qual muito brevemente a instituição que dirige vai apresentar os delinquentes que, há duas semanas, assassinaram o agente de segurança Laurindo Cambiambia, pertencente a uma empresa de segurança privada, durante um assalto no bairro São José. “Os últimos crimes violentos ocorridos na cidade do Huambo foram praticados por elementos foragidos de Luanda, onde temos realizado um grande trabalho de cerco aos grupos de malfeitores, que acossados pela pressão policial, escondem-se nas regiões do interior do país, nomeadamente no Planalto Central e no Leste”.
O responsável máximo da Polícia afirmou que a organização não está de braços cruzados diante da onda de violência que ocorre um pouco por todo o país, apontando que muito brevemente os resultados da operação que está a ser desencadeada darão maior tranquilidade e segurança às populações. Durante a sua estada na cidade do Huambo, o comissário-chefe, Paulo de Almeida, fez a entrega de 12 viaturas e igual número de motorizadas que vão ajudar nas operações de patrulhamento na cidade do Huambo e nas vilas-sede dos municípios da Caála e do Bailundo, circunscrições com grandes aglomerados populacionais.

Tempo

Multimédia