Sociedade

Começou a adesão ao “Cartão Jovem”

Manuela Gomes

Jovens dos 15 aos 35 anos passam a beneficiar de descontos em vários serviços sociais, entre os quais saúde, alimentação, transporte e educação, face à adesão ao “Cartão Jovem Angola”, lançado ontem, em Luanda.

Fotografia: Dr

O “Cartão Jovem Angola”, que é uma iniciativa privada da empresa Sgar, está no mercado há três meses e já conta com mais de sete mil usuários só na província de Luanda.
Em declarações ao Jornal de Angola, o director-geral da Sgar, Raúl Alexandre, informou que o cartão, além de proporcionar descontos, também pode gerar emprego e bolsas de estudo para os usuários.
Raúl Alexandre disse que este tipo de serviços surge em Angola com base na experiência adquirida durante a sua formação em Portugal, em que foi possível pagar os estudos e viajar por vários países por meio do “Cartão Jovem”.
“Após concluir a formação e, posto em Angola, notei que muitos jovens enfrentavam dificuldades no que concerne à educação, saúde, transporte, entretenimento e outros. Foi assim que me associei a uns colegas e decidimos implementar o “Cartão Jovem Angola”, aclarou.
Segundo Raúl Alexandre, para a implementação dos serviços de descontos no “Cartão Jovem”, a Sgar conta com mais de 50 parceiros nacionais associados, como o Banco Keve, Refriango, Global Seguros, Clínica Caridade, Farmácias Angola, Cine Max, Angomart, Grupo Zhara, Zap, Tv Cabo e NCR, entre outras.
O responsável indicou que muitas destas empresas sempre que precisarem de recrutar pessoal para o seu quadro de trabalhadores, darão, em primeira instância, oportunidades aos usuários do “Cartão Jovem”, particularmente àquelas pessoas que têm produtos para vender, como da NCR, Zap e outras.
“O jovem que for recrutado, por cada venda que efectuar, ganha uma comissão”, explicou, esclarecendo que para adesão ao cartão é necessária a quantia de 2.500 kwanzas. O valor empregue dá acesso a descontos imediatos a todo tipo de serviços oferecidos pelas empresas referenciadas.
De acordo com o mentor do projecto, o jovem só precisa de aderir ao cartão e, durante um ano, os descontos são feitos de acordo com a percentagem estabelecida por cada cliente/empresa, rondando entre os cinco e 50 por cento.
Raúl Alexandre está expectante por saber que o produto já está a ajudar muitos jovens, sobretudo no pagamento das propinas nas universidades, na compra de medicamentos em farmácias parceiras, cinema, televisão, cesta básica e outros.

Tempo

Multimédia