Sociedade

Cometeu suicídio por dever 20 mil kwanzas

César André

A cidadã Domingas Capundo, 50 anos, suicidou-se na noite de quarta-feira na sua residência, no bairro da Boa Esperança, município de Cacuaco, em Luanda, por alegadamente ter contraído uma dívida de 20 mil kwanzas a uma vizinha.

O infortúnio aconteceu num dos bairros de Cacuaco
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

Daniel Tiago, sobrinho da malograda, afirmou ao Jornal de Angola que se presume que o suicídio esteja relacionado com uma dívida contraída a uma vizinha, há já algum tempo, que estava a ser pressionada para a restituição do montante em causa.
“Fomos informados do infortúnio por um familiar com quem a malograda vivia e, quando nos deslocámos a casa desta, encontramo-la já sem vida. Enforcou-se com uma corda, contou a fonte.
O Jornal de Angola apurou que a malograda, que comercializava peixe seco, em frente da sua residência, devia dinheiro a uma vizinha, que era a principal fornecedora do produto.
Uma das sobrinhas da falecida, Domingas Capundo, confirmou que a tia dependia exclusivamente da venda de peixe seco, para sustentar os quatro filhos e dois netos, uma vez que era viúva. Contou que, nos últimos dias, antes de ter cometido o suicídio, apresentava um semblante de tristeza.
Há dias, continuou, a malograda confidenciou a um membro da família que estava farta de viver em Luanda e que pretendia regressar à terra natal, Bié, devido ao alto custo de vida na capital do país.
Efectivos da direcção provincial do Serviço de Investigação Criminal (SIC), que removeram o corpo no dia seguinte, trabalham no sentido de apurar “as reais causas que levaram ao suicídio da malograda”.

Tempo

Multimédia