Sociedade

Comissão de Reforma dirige destinos da Igreja Universal

César Esteves

Todo o serviço eclesiástico levado a cabo, até aqui, pelos missionários brasileiros da Igreja Universal do Reino de Deus, em todo o território nacional, está suspenso, desde o dia 24 de Julho deste mês.

Bispo Valente Bezerra Luís é o coordenador da Comissão de Reforma da IURD em Angola
Fotografia: DR

A decisão vem plasmada em Diário da República, III Série nº 81, de 24 de Julho deste ano. De acordo com o documento legal, doravante, todos os actos eclesiásticos desenvolvidos por estes missionários, a nível do país, serão considerados ilegais.

O DR informa que os destinos da igreja serão, daqui para frente, conduzidos pela Comissão de Reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, liderada pelo bispo Valente Bizerra Luís, como coordenador, e terá como Conselho Consultivo todos os bispos, pastores, obreiros e membros da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola.
A decisão para o afastamento dos membros brasileiros, da direcção da igreja, de acordo com o DR, saiu da Assembleia Extraordinária realizada com base nos Estatutos da Igreja Universal do Reino de Deus, convocada a pedido de mais de metade dos membros em pleno gozo dos seus direitos.

Consta, igualmente, deste DR, que a destituição e dissolução dos membros de direcção dirigidos pelo bispo Honorilton Gonçalves, de nacionalidade brasileira, do corpo directivo da IURD em Angola, tem como base a violação sistemática aos estatutos e direitos dos membros da igreja.
Neste sentido, destaca-se a discriminação racial e violação das normas estatutárias, imposição e coacção à castração ou vasectomia aos pastores (apegando-se a heresias), privação aos pastores e suas respectivas esposas de acesso à formação académica, científica e técnico-profissional e eleição dos membros dos órgãos sociais de forma ilegal, sem observar as normas estatutárias.

O documento fala, também, da falsificação da acta de eleição do presbitério-geral da IURD — Angola, usurpação de competências deliberativas da Assembleia-Geral pelo presbitério-geral, abuso de confiança do presidente da direcção da Igreja, ao passar procurações com plenos poderes a cidadãos brasileiros para exercerem actos reservados à Assembleia-Geral, abuso de confiança na gestão dos recursos financeiros e patrimoniais da IURD — Angola.

A perseguição às associações de membros da Igreja (Asseumi Amei Angola e ABC), a falta de projecto de desenvolvimento pastoral em formação teológica específica e privação aos pastores e esposas no acesso às visitas dos seus respectivos familiares nas suas residências fazem, igualmente, parte das denúncias.
Os subscritores do memorando para a criação da Comissão de Reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola deliberaram que o Corpo de Coordenação de Gestão tem todos os poderes relativamente aos Estatutos de Representação da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola.

Novos representantes eleitos dentro de 90 dias

A Comissão de Reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, anunciou, ontem, em Luanda, a realização de uma Assembleia-Geral, nos próximos 90 dias, para eleger o novo representante da agremiação no país.
Em conferência de imprensa, ontem, na Catedral do Lar do Patriota, município de Talatona, o bispo Valente Bezzera Luís, coordenador-geral para as reformas, esclareceu que após a publicação em Diário da República, o próximo passo é arrumar a casa.

A Comissão de Reforma vai gerir todos os programas eclesiásticos da IURD- Angola, com destaque para os televisivos, radiofónicos, imprensa e plataformas digitais.
Valente Bezerra Luís disse que cada dia que passa tem recebido pastores que abraçam a causa, com realce para brasileiros e moçambicanos que reconhecem as reformas estatutárias e que dentro em breve estarão na Comissão de Reforma.

“Não existirão represálias a nacionais e nem para estrangeiros, vamos respeitar a decisão de cada um deles”, garantiu Valente Bezerra que acrescentou a necessidade de se converter em parceira do Estado, através da construção de escolas e postos médicos, com objectivo de apoiar as comunidades angolanas”.
Valente Bezerra Luís, pediu aos bispos, pastores, obreiros e membros da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, reconciliação no seio da família Universal, anunciando que os bispos angolanos vão assumir os destinos da agremiação religiosa.
Alberto Quiluta

Tempo

Multimédia