Sociedade

Conservação da natureza é tarefa de cada cidadão

Joaquim Júnior | Uíge

O secretário de Estado do Ambiente, Joaquim Manuel, pediu, quinta-feira, na cidade do Uíge, aos especialistas nacionais e internacionais para unirem forças para a preservação de mais de 100 espécies vegetais e animais ameaçadas de extinção em Angola.

Fotografia: DR

Discursando na cerimónia de abertura da II conferência nacional sobre a biodiversidade, organizada pela Universidade Kimpa Vita, em parceria com o Governo Provincial do Uíge, Joaquim Manuel mencionou a “Lista Vermelha” das espécies de Angola, da qual já constam três extintas, 29 ameaçadas de extinção, 100 espécies vulneráveis e 18 espécies invasoras.
A título de exemplo, Joaquim Manuel disse que a planta “fumbua” está catalogada como uma das espécies vegetais vulneráveis, por estar submetida à exploração não sustentada.
O secretário de Estado apontou como desafios do sector do Ambiente a luta contra a caça furtiva, o desmatamento, as ravinas e a exploração insustentável dos recursos. O estímulo às pesquisas científicas e a formação de quadros do sector do Ambiente estão entre as prioridades do departamento ministerial, garantiu Joaquim Manuel, que lembrou ter o Executivo criado instrumentos para a alteração do quadro, por via da revitalização dos parques nacionais, da criação de novas áreas de conservação e da formação de fiscais ambientais e florestais.
“A conservação da biodiversidade é responsabilidade de cada um de nós”, afirmou Joaquim Manuel, que defendeu acções concretas para que Angola continue a ser um país rico em biodiversidade. O secretário de Estado salientou que a estratégia nacional de conservação da biodiversidade assenta em três pilares principais: conservação da biodiversidade, a criação de postos de trabalho e a obtenção de receitas, através do fornecimento de vários serviços e produtos, com o objectivo de proporcionar à população um desenvolvimento sustentável.

Tempo

Multimédia