Sociedade

Contraiu cegueira na cadeia

Kilssia Ferreira

O Tribunal Provincial de Luanda condenou o réu João António Mateus a dois anos de prisão, com pena suspensa, por roubo qualificado.

Fotografia: DR

João António Mateus foi condenado com pena suspensa devido a cegueira que contraiu na cadeia, na sequência de várias agressões supostamente efectuadas por agentes da Polícia.
“O tribunal não tem dúvidas de que o réu cometeu o crime de que foi acusado, mas a suspensão da pena tem a ver com a sua condição de saúde”, esclareceu o magistrado judicial.
Esclareceu que o crime de que João António Mateus é acusado tem uma moldura penal de 20 a 24 anos de prisão. Para aplicação da pena com efeito suspensivo, disse o juiz, o tribunal teve em consideração o facto de o réu ter perdido visão sem uma explicação clara dos médicos durante o período que esteve detido.
O tribunal tem conhecimento que até ao momento da detenção, João António não tinha nenhum problema de visão.
O magistrado judicial lamentou a ausência de um relatório médico, que devia explicar as causas da cegueira, desconhecendo-se se a mesma é passageira ou definitiva.
Durante as alegações, João António Mateus acusou os agentes do Serviço de Investigação Criminal de o terem agredido várias vezes.
Consta nos autos que no dia 24 de Março de 2018, ele e mais três amigos foragidos, fazendo-se passar por passageiros, introduziram-se numa viatura Toyota Land Cruise que fazia o serviço de táxi, no município do Cazenga e anunciaram o assalto, prática negada pelo réu durante o julgamento.
Salientou que teve acesso às chaves da viatura através de um amigo que o pediu para a retirar do parque de estacionamento.
O agente que autuou o réu explicou que o mesmo foi detido em flagrante delito na via pública, quando tentava escapar da Policia, depois de vários disparos.

Tempo

Multimédia