Sociedade

Corpos das vítimas são levados ao Dundo

Armando Sapalo | Dundo

Começaram ontem a ser transportados para o Dundo, capital da província da Lunda-Norte, os restos mortais das vítimas do acidente de aviação da Air Guicango, que se despenhou quinta-feira nas chanas do Lunhinga, a 90 quilómetros da sede municipal do Cuilo.

Médicos legistas começam trabalho de identificação dos corpos
Fotografia: Cândido Mutombo | Edições Novembro | Lunda-Norte


De acordo com Pedro Gonçalves, chefe do Departamento de Investigação de Acidentes Aeronáuticos, a identificação dos corpos vai ser realizada através de testes de DNA em laboratórios especializados de Luanda.
Acrescentou que uma equipa de médicos legistas já trabalha na identificação de cada corpo.
Sobre as causas do acidente, Pedro Gonçalves não adiantou dados, porque a “caixa preta” da aeronave ainda não foi encontrada.
A bordo da aeronave  seguiam sete pessoas entre as quais três membros da tripulação.
Dois dos que iam a bordo eram estrangeiros de nacionalidade sul-africana e portuguesa, ambos trabalhadores da empresa de exploração diamantífera Sociedade Mineira do Luana.  Paulo Oliveira da Silva (comandante),  Afonso Pedro (co-piloto ) e Cláudio Manhico (assistente de bordo) eram os três membros da tripulação.
Paulo Carvalho (português) e Jack Lombard (sul-africano), além  dos angolanos Paulo Miranda e Bonifácio Cataca completam a lista de passageiros. 
       





Tempo

Multimédia