Sociedade

Cortada circulação entre Neves Bendinha e Palanca

Mazarino da Cunha

A ligação automóvel e de peões entre os bairros Neves Bendinha e Palanca, no município do Kilamba Kiaxi, em Luanda, está cortada devido ao desabamento da ponte de betão, na rua Olímpio Macuéria, na sequência da chuva que se abateu na noite de quinta-feira e madrugada de ontem.

A ligação automóvel e de peões entre os bairros Neves Bendinha e Palanca, no município do Kilamba Kiaxi, em Luanda, está cortada devido ao desabamento da ponte de betão, na rua Olímpio Macuéria, na sequência da chuva que se abateu na noite de quinta-feira
Fotografia: Agostinho Narciso | Edições Novembro

De acordo com os moradores da zona, contactados pelo Jornal de Angola, as elevadas quantidades de resíduos sólidos e a falta de manutenção da vala de drenagem estão na base do desabamento daquela infra-estrutura rodoviária ontem, às zero horas.
Tamara Manuel, moradora da rua adjacente à ponte, contou que sinais de desabamento já eram notórios, desde as últimas chuvas do ano passado, mas a Administração do Distrito Urbano do Neves Bendinha “não fez nada”, assim como “a insistência pelo uso da via por parte de centenas de automobilistas”, que fazem diariamente o percurso Bairro Popular-Palanca.
Com o desabamento da ponte foi criada uma alternativa que parte da rua Rolé, no Neves Bendinha, até à rua A do bairro Palanca, e mesmo assim, Tamara Manuel considera que “não se encontra em condições técnicas aceitáveis” para a circulação automóvel e de peões.
Manuel Ngola, 54 anos, taxista de profissão, disse que a queda da ponte vai atrapalhar a sua vida laboral, porque todos os dias usava a rota Bairro Popular-Sanatório, transportando passageiros e mercadoria naquela via.
“A queda da ponte devia ser evitada se a Administração do Distrito ou do Município fizessem regularmente limpeza da vala de drenagem e manutenção da mesma”, frisou.

Tempo

Multimédia