Sociedade

Covid-19: Angola impõe quarentena aos transportadores de mercadorias

Adelina Inácio

Angola vai impor quarentena a todos os condutores dos países membros da SADC que atravessarem as fronteiras nacionais, no quadro das medidas de prevenção e combate à Covid-19, informou ontem, em Luanda, o ministro dos Transportes, Ricardo Abreu.

Na reunião ministerial, orientada a partir de Dar-es-Salam, Tanzânia, Ricardo Abreu lembrou que os países na região estão fechados e não têm acesso rodoviário.
Fotografia: DR

“À medida que os casos vão avançando mais se justifica esta medida. É óbvio que com o evoluir da doença, outras medidas poderão ser tomadas e talvez outra flexibilização poderá ser tomada, mas, nesta altura, estamos num quadro de quarentena institucional que deve ser observada por todos os operadores e trabalhadores dos diferentes sectores da transportação”, afirmou.

Ricardo Abreu, que falava em vídeo-conferência na reunião do Conselho de Ministros da SADC, garantiu que Angola pretende assegurar a facilitação do transporte de mercadorias e produtos essenciais na região da SADC. O ministro afirmou que a intenção é não permitir que haja impedimento ou constrangimentos a nível dos Estados membros no transporte de mercadorias.

Na reunião ministerial, orientada a partir de Dar-es-Salam, Tanzânia, Ricardo Abreu lembrou que os países na região estão fechados e não têm acesso rodoviário. “A questão essencialmente tem a ver com os períodos de quarentena e os que devem ser observados pelos motoristas e tripulantes de mercadorias que venham dos países da região”, sublinhou.

Na reunião de ontem foi também analisada a monitorização do Protocolo de Saúde. Os participantes procuraram perceber o estado de implementação das medidas de prevenção e combate à Covid-19. O documento foi adoptado pelos Estados-membros. A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, que também participou da reunião, defendeu a tomada de medidas “muito fortes”para se ter a vigilância epidemiológica controlada e uma capacidade laboratorial de diagnóstico e condições para o manejo de casos de Covid-19 na região.


Sílvia Lutucuta pediu uma reflexão profunda devido às condições sanitárias de alguns países da região. “Temos grandes desafios na assistência sa-nitária nos nossos países, que nos colocam numa si-tuação mais difícil para en-frentar a pandemia da Covid-19”, disse.

A ministra partilhou com os países membros da SADC a experiência de Angola sobre as medidas de emergência e as várias acções que reduzem a mobilidade e o isolamento das pessoas. Estas decisões, disse, são importantes para a região da SADC. "Todos os países, perante a pandemia da Covid-19, tiveram que adoptar medidas para controlar a cadeia de transmissão da doença", sublinhou.

Tempo

Multimédia