Sociedade

Covid-19: Angola regista mais 18 casos positivos, dois são do Cuanza-Norte

Alberto Pegado e Xavier António

O número de casos positivos no país subiu para 346 com o registo de mais 18 novos casos positivos da Covid-19, dos quais dois detectados na província do Cuanza-Norte, nas últimas 24 horas. Foi ainda confirmado mais um óbito e um doente recuperado.

Fotografia: DR

A informação foi avançada ontem, em Luanda, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, tendo referido que, quanto ao paciente que faleceu  no Hospital Américo Boavida,é um angolano de 67 anos, tornando-se na 19ª vítima mortal pela Covid-19 no país.  O malogrado, que padecia de tuberculose, teve o quadro respiratório agravado nas últimas 24 horas.

De acordo com Franco Mufinda, o malogrado chegou praticamente com paragem cardiorrespiratório ao Banco de Urgência do Hospital Américo Boavida. Explicou que, de imediato, fez-se a colheita pós-morte, que acabou por evidenciar a Covid-19. Nas últimas 24 horas foram, ainda, registados 18 casos positivos, dos quais 16 em Luanda e dois no Cuanza-Norte, além da recuperação de um doente.

Destes, oito são de transmissão local, dez sem vínculo epidemiológico. Os infectados têm idades compreendidasentre os 27 e 67 anos. Franco Mufinda  disse que, com os dados de ontem, eleva-se para 346 o número de infectados, desde o início da pandemia, em Março, 108 recuperados e 19 óbitos.

Na habitual sessão de actualização de dados da Covid-19, realizada no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, informou, também, que dos infectados, 12 são mulheres e os restantes homens.  Acrescentou que os casos foram reportados na Maianga, Belas, Kilamba Kiaxi e Talatona, enquanto os dois registaram-se no município do Cazengo, no Cuanza-Norte.

Franco Mufinda disse que, dos 219 casos activos, seis requerem cuidados especiais e os restantes estão clinicamente estáveis nas unidades sanitárias de referência.  O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 46 chamadas, das quais sete denúncias de casos suspeitos, uma de violação do Estado de Calamidade e 38 pedidos de informação sobre a Covid-19.

Ainda nas últimas 24 horas, prosseguiu, foram processadas 326 amostras, 18 das quais positivas e 308 negativas. Esclareceu que o total de amostras recebidas, até ontem, era de 28.571, sendo 346 positivas, 21.693 negativas e 6.532 estão em processamento. Na quarentena institucional, foram dadas 79 altas, 72 em Luanda, quatro no Huambo e três no Bié. Já nos contactos investigados há o registo de 2.270, os casos suspeitos mantém-se em 515. Na quarentena institucional estão 1.006 pacientes.

Segundo o secretário de Estado, nesta altura, há 68 casos sem o vínculo, o que obriga a mudança de conduta e acatamento das medidas de prevenção e de boas atitudes, tendo, por isso, solicitado à população a manter-se em casa. Para o governante, em Angola só existe uma clínica privada, por enquanto, credenciada para a realização de testes da Covid-19, que é a Clínica Medical Center.

Explicou, também, que nenhum procedimento foi validado, sobretudo, a questão relacionada com a testagem rápida. “O que vier a acontecer só se for um acto ilícito, daí pedimos à sociedade a denunciar”. O Ministério da Saúde é a única entidade que valida testes, por via do Instituto Nacional de Investigação em Saúde.

Acções em Cabinda

Em Cabinda, realizou-se uma palestra de sensibilização sobre as medidas de prevenção da pandemia e desinfecção de locais públicos, no município sede.
No Cuanza-Norte, fez-se a desinfecção de quatro instituições públicas, no município do Cazengo, e a realização de uma palestra de sensibilização sobre as medidas de prevenção da Covid-19, nos Hospitais Materno-Infantil, Municipal do Cazengo e no Centro Municipal de Saúde do Sassa.

No Uíge, houve a colheita de 158 amostras de casos suspeitos de Covid-19, no município com o mesmo nome, além da palestra de sensibilização sobre as medidas de prevenção, dirigida aos funcionários da Universidade Kimpa Vita e do Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED).

Tempo

Multimédia