Sociedade

Covid-19: Angola sem registo de mortes nas últimas 24 horas

Alberto Pegado e Xavier António

A Huíla entrou nas estatísticas das províncias com infecções do novo coronavírus, com o registo de um caso, dos 27 reportados ontem. Das 18 províncias do país, apenas quatro estão isentas da pandemia.

Secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.
Fotografia: Alberto Pedro | Edições Novembro

Os dados foram avançados, em Luanda, pelo secretário de Estado para a Saúde Pública. Na habitual sessão de actualização de dados da Covid-19, realizadas no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, Franco Mufinda informou que dos novos casos confirmados, 25 são de Luanda, um no município do Cazengo, no Cuanza-Norte, e igual número no Lubango, na Huíla.

Os infectados têm idades entre um e 74 anos, sendo 14 homens e 13 senhoras, perfazendo 1.762 infecções acumuladas. Os 25 infectados de Luanda estão distribuídos pelas localidades de Talatona, Kilamba-Kiaxi, Rangel, Ingombotas e Maianga. O primeiro caso positivo na província da Huíla, no município do Lubango, é importado de Luanda, por violação da cerca sanitária.

De acordo com Franco Mufinda, também foram recuperados dois pacientes, um no município do Kialamba Kiaxi, em Luanda, outro no Cazengo, no Cuanza-Norte, elevando para 577 pessoas livres da doença.  O número de óbitos mantêm-se em 80. Dos 1.105 doentes internados, cinco são críticos, sob ventilação mecânica invasiva, 21 graves, 22 moderados, 35 leves e 1.022 assintomáticos.

Com excepção da Lunda-Sul, Huambo, Namibe e Cuando Cubango, as restantes 14 províncias já têm infectadas. Luanda, o epicentro da pandemia, conta com 1.700 (transmissão comunitária), Cuanza-Norte tem 18 infectados. Zaíre (14), Cabinda (9), Bengo (5), Cuanza-Sul (5), Cunene (3), Benguela (2), Uíge (1), Lunda-Norte (1), Malanje (1), Bié (1), Moxico (1) e Huíla (1).

Franco Mufinda disse que, nas últimas 24 horas, foram processadas 213 amostras por RT-PCR, das quais 27 foram positivas e 186 negativas, o que perfaz um acumulado de 48.511, sendo 1.762 positivas e 46.749 negativas.  Na quarentena institucional, foram dadas 66 altas, 44 em Luanda, oito em Benguela, seis no Bié, quatro na Huíla, duas em Cabinda e igual número no Cuanza-Sul e um na Lunda-Norte.

O Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) recebeu 42 chamadas, das quais uma denúncia de violação da cerca sanitária e 41 foram pedidos de informação da Covid-19. O número de casos suspeitos investigados é 1.675 e 4.132 dos contactos sob vigilância. Em quarentena institucional estão 863 cidadãos.

Franco Mufinda referiu, por outro lado, que, com base nos 100 casos positivos anunciados domingo último, foi feito um estudo de avaliação epidemiológica. Acrescentou que dos casos confirmados, 30 são trabalhadores do ramo petrolífero, em regime de rotação nas plataformas do Bloco 3.
"Fomos obrigados a tomar medidas de saúde pública, com rastreio e testagem.

Os infectados já se encontram em Luanda e recebem cuidados médicos. Também estão em acompanhamento os seus contactos", esclareceu o secretário de Estado. Segundo avançou, foram mobilizados, além da equipa dos Ministérios da Saúde, Recursos Minerais e Petróleos e Gás, também, a Sonangol.

Palestras de sensibilização

Entre as actividades realizadas nas províncias, destacam-se palestras de sensibilização sobre as medidas de prevenção da Covid-19, no município do Dande, na província do Bengo. No Bié houve também palestras destinadas aos jovens do município do Cuito sobre medidas de biossegurança. Em Benguela fez-se a colheita e envio ao Instituto Nacional e Investigação em Saúde (INIS) de sete amostras, assim como a descontaminação da Administração Municipal do Caimbambo.

Os funcionários da Administração municipal do Cubal foram instruídos sobre medidas de biossegurança. Já em Cabinda houve uma acção de capacitação dos funcionários do Ministério das Finanças acerca das medidas de prevenção do novo corona vírus. No Cuando Cubango realizou-se uma palestras de sensibilização dirigida aos motoqueiros e vendedores do mercado municipal de Menongue.

No Cunene procedeu-se o envio ao INIS de oito amostras, enquanto no Cuanza-Norte foram realizadas palestras de sensibilização sobre as medidas de prevenção.  No Moxico foi feito o levantamento da cerca sanitária do bairro Saydi Mingas. No Zaire fez-se o envio ao INIS de 67 amostras e no Huambo realizou-se uma acção de capacitação de técnicos da Saúde sobre medidas de biossegurança, no município da Caála.

Tempo

Multimédia