Sociedade

Covid-19: Comboios reduzem circulação

A circulação de comboios em Angola e o limite de passageiros por carruagem vão ser alvos de uma diminuição significativa a partir de hoje, devido à pandemia do Covid-19, anunciou a Administração da operadora Caminho de Ferro de Luanda.

Luanda vai ter apenas oito frequências de comboios diários ao contrário dos 17 anteriores
Fotografia: Daniel Benjamin | Contreiras Pipa

Numa nota à comunicação social, a empresa apresentou um conjunto alargado de medidas, “sob orientação do Ministério dos Transportes”, com vista a “não permitir que os comboios e as estações se convirtam em focos de contaminação e disseminação da doença”.
Entre as principais restrições impostas está a redução da circulação diária dos comboios suburbanos, “passando das actuais 17 frequências diárias para oito”, a limitação do número de pessoas a bordo. As carruagens de 3.ª classe passam dos actuais 100 passageiros para o limite máximo de 50 e as de 2.ª classe de 70 para 48.
O horário de circulação das ligações suburbanas passa a decorrer apenas entre 6h30 e as 18h00 na estação de Viana, enquanto os comboios para a cidade do Dondo são suspensos por tempo indeterminado. Já os comboios de longo curso Luanda-Ndalatando-Malange e Luanda-Luinha mantêm-se activos, embora sujeitos à evolução da propagação do coronavírus no país.
A Administração do Caminho de Ferro de Luanda, presidida por Júlio Bango, anunciou ainda o reforço das condições de higiene e desinfecção nas estações e carruagens, e a dispensa do serviço para funcionários com idade elevada ou doenças crónicas durante este período.
As medidas da operadora angolana inscrevem-se também numa circular do Ministério dos Transportes que foi conhecida segunda-feira e que alerta para a importância do reforço de medidas preventivas dos trabalhadores do sector, a higienização dos veículos, a protecção de passageiros e motoristas, o fecho de fronteiras para pessoas por 15 dias desde 20 de Março, a recomendação do uso de máscaras e a adopção de distância social de segurança.

Meios modernos

Recentemente, a empresa recebeu modernas locomotivas que serão utilizadas apenas no perímetro suburbano do Caminho-de-Ferro de Luanda, cobrindo o troço Bungo/Baia e vice-versa, com a finalidade de colmatar as grandes dificuldades de mobilidade que se apresentam nestas localidades.
Os meios foram entregues na semana passada ao ministro dos Transportes, Ricardo D'Abreu. Ao falar, no Porto de Luanda, onde foram entregues os referidos equipamentos, o ministro disse que aquelas locomotivas, em pleno funcionamento, deverão transportar mais de três milhões de passageiros/ano.
O comboio suburbano tem capacidade para transportar 696 passageiros, 190 sentados e 506 em pé.
O director do Instituto Nacional dos Caminhos de Ferro , Ottoniel Manuel, disse que as locomotivas vão entrar em funcionamento nos próximos 60 dias, visto estarem a ser preparadas as estruturas e travessias de viaturas e peões.
O troço Bungo/Baia tem 36 quilómetros e existem 23 zonas de travessia, que deviam estar desagregadas e protegidas com passagens superiores. A manutenção dos meios será feita em Catete, cujas instalações foram erguidas no ano passado.

Tempo

Multimédia